Elon Musk repete acusação e ameaça de não comprar o Twitter

CEO da Tesla denuncia que poderá desistir da compra da rede social, caso ela não forneça informações sobre perfis falsos

O bilionário Elon Musk afirmou, novamente, que pode desistir do acordo de U$ 44 bilhões para compra do Twitter, caso a empresa não esclareça informações sobre contas faltas e de spam na rede social. Em uma carta enviada e divulgada nesta segunda-feira (6/6) para os executivos do microblog, o CEO da Tesla acusou a companhia de não fornecer dados de transparência.

De acordo com informações do documento, Musk afirma que o Twitter é obrigado a fornecer dados solicitados por Musk, com base no acordo firmado, para que seja finalizada a compra da rede social.

“O Twitter, de fato, se recusou a fornecer as informações que Musk solicitou repetidamente desde 9 de maio de 2022 para facilitar sua avaliação de spam e contas falsas na plataforma da empresa. A última oferta do Twitter de simplesmente fornecer detalhes adicionais sobre as metodologias de teste da própria empresa, seja por meio de materiais escritos ou explicações verbais, equivale a recusar as solicitações de dados de Musk”, declara um trecho do texto enviado aos executivos e assinado por representantes jurídicos do CEO da Tesla.

No documento, o bilionário afirmou que precisa ter acesso aos dados para realizar uma análise própria dos perfis da rede social, uma vez que não acredita nas “metodologias de teste negligentes” do Twitter.

Em maio, Musk anunciou a suspensão temporária da compra da rede social. Com a notícia de interrupção do acordo, as ações do Twitter caíram cerca de 20% e passaram a ser vendidas a US$ 36, U$ 18,2 a menos do valor oferecido por cada ação pelo bilionário.