'Lição para ele', diz deputado após juiz obrigar Renan Filho a excluir postagem

ALE repercutiu condenação do governador para que retirasse postagem com levantamento de pesquisa eleitoral

A determinação judicial para que o governador Renan Filho (MDB) retirasse o vídeo publicado nas redes sociais em que ele divulga o resultado de uma pesquisa eleitoral sem procedência foi repercutida na sessão da Assembleia Legislativa Estadual (ALE), na manhã desta terça-feira (6). O deputado Davi Maia (DEM) afirmou que o governador não é acostumado a lidar com a verdade e que esta seria uma lição para todos os envolvidos no pleito.
O pedido para que a publicação fosse excluída do perfil do Instagram foi feito pelo candidato a prefeito de Maceió JHC, do PSB. No vídeo, Renan Filho diz ter recebido um telefonema do apadrinhado Alfredo Gaspar de Mendonça, candidato dos governos, dando conta de que seria este (Alfredo) o líder na preferência do eleitorado. 
Assim que os stories foram publicados, o deputado Davi Maia gravou uns vídeos em que colocava em xeque a suposta pesquisa divulgada e desafiava o governador a registrar o levantamento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Alagoas, procedimento válido para garantir a transparência e a lisura da amostragem realizada.
"O governador, infelizmente, não trabalha e nem é acostumado a lidar com a verdade. Foi condenado a retirar a postagem que fez no Instagram por divulgar uma pesquisa sem fundamento. Que esta condenação sirva de lição a Renan Filho e a todos que estão trabalhando neste pleito", disse o parlamentar, antes de a sessão ser encerrada nesta terça, sem qualquer projeto votado.
Maia acrescentou que espera um processo eleitoral sendo conduzido na paz, sem fake news e matérias criadas. "Isto serve para o governador não falar de assuntos que não sabe do que se tratam".
Na decisão publicada nessa segunda-feira (5), o juiz considera que a postagem de Renan Filho se aproxima de uma propaganda irregular camuflada, com potencial considerável perante o eleitorado.
CASAL
Ainda durante a sessão, Maia repercutiu o resultado do leilão para concessão de serviços de fornecimento de água e tratamento de esgoto na Região Metropolitana de Maceió, ocorrido na semana passada, na Bolsa de Valores de São Paulo. Defensor da privatização da Casal [Companhia de Saneamento de Alagoas], o parlamentar reforçou que a licitação só foi possível graças ao projeto de lei aprovado na ALE que permitia este tipo de cessão.
"Estou feliz com esta concessão, já que não foi possível a privatização da Casal. Entendo que a companhia oferece um péssimo serviço aos alagoanos e não merece continuar em atividade. Agora, vamos acompanhar estas concessões que estão sendo feitas e cobrar, do governador, que os demais blocos de serviços da Casal sejam levados à Bolsa de Valores o quanto antes", afirmou.
A empresa BRK Ambiental foi a vencedora do leilão com a maior oferta, ultrapassando R$ 2 bilhões, que devem estar nos cofres do Estado de Alagoas, até o mês de dezembro. A multinacional também se comprometeu, a partir do chamamento público, a investir mais R$ 2,6 bilhões no serviço de saneamento e de fornecimento de água na Grande Maceió, nos próximos anos.