Coordenador da Transição diz que vai cobrar 20 policlínicas ao Governo de AL

Promessa foi feita durante a campanha, por meio de recursos do Tesouro Estadual; auxílio emergencial aos mais carentes também integra lista

Designado para coordenar a equipe do prefeito eleito no processo de transição de governo, o deputado estadual Davi Maia (DEM) informou que JHC (PSB) pretende cobrar do governador Renan Filho (MDB), que apoiou o candidato derrotado, a construção de 20 policlínicas e a concessão de auxílio emergencial aos mais carentes da capital. Estas promessas foram feitas durante a campanha sob o pretexto de que os recursos seriam do Tesouro Estadual.
Durante sessão ordinária na Assembleia Legislativa Estadual (ALE), nesta terça-feira (1º), o parlamentar adiantou que a futura gestão já demonstrou interesse nestes benefícios, assim como as frentes de pavimentação das ruas, encampadas pelo Governo do Estado.
"O governador prometeu no processo eleitoral que construiria as policlínicas na capital, concederia o auxílio emergencial aos mais carentes e intensificaria oito frentes de asfalto. JHC adiantou que quer tudo isso para beneficiar os moradores da capital. E isto é pra já, pois o auxílio emergencial do Governo Federal está acabando e o Fecoep [Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza] está disponível para ser revertido neste benefício aqui", destacou. 
Na campanha, o candidato derrotado repetia as promessas de concessão de auxílio emergencial de R$ 70,00 para os mais carentes e de construção das 20 policlínicas. Ambas seriam com recursos estaduais. No caso das unidades de saúde, a ideia seria o Governo estruturá-las e, após um ano, o comando passaria à prefeitura.
Além desta cobrança, Davi Maia aproveitou o discurso para agradecer à população e à equipe de trabalho pela vitória nas urnas. Segundo ele, a votação a JHC simboliza "um grito de liberdade". 
"Foi uma campanha humilde, bonita, ao lado do povo. Não foi fácil e sei de todas as dificuldades que JHC passou. Enfrentamos a máquina administrativa e da opressão. O acirramento foi duro e cruel, e posso dizer que a democracia foi violentada. Mas, o povo estava do nosso lado e acreditou no discurso de mudança", avaliou.
Agora, segundo ele, desmontam-se os palanques e inicia-se a gestão. "Recebi o convite para ajudar na coordenação da transição. Tenho um bom trânsito com o prefeito Rui Palmeira, que o considero como amigo, além de um trânsito institucional com o governador Renan Filho. "Agora, fica o meu apelo a cada deputado para que venha somar, nos ajudar, já que este é um projeto de todos os que amam a capital". 
Outro a se pronunciar na sessão foi o deputado Cabo Bebeto (PTC). Além de agradecer, ressaltou que escolheu "o melhor lado" para caminhar nesta eleição. Pela posição que tomou, disse que recebeu muitas críticas, mas estava aliviado pela vitória. "O que presenciamos nas urnas foi o início de uma quebra de uma espécie de monarquia em Alagoas".