Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > POLÍCIA

Polícia identifica alagoano preso por tráfico em aeroporto na França

Mãe do acusado comunicou o desaparecimento dele em agosto do ano passado; prisão aconteceu em julho

Um alagoano, de 25 anos, desaparecido desde agosto do ano passado, foi identificado pela Polícia Civil, como sendo o mesmo homem preso em um aeroporto na França, por suposto crime de tráfico de drogas. A mãe do rapaz, moradora do município de Inhapi, interior de Alagoas, comunicou o desaparecimento, na época.

Segundo a Polícia Civil de Alagoas (PC/AL), a identificação do rapaz foi possível graças ao registro da ocorrência de desaparecimento. A mãe informou que ele se encontrava no estado de São Paulo, e há 30 dias não mantinha contato.

Leia também

Uma semana depois, surgiu a informação de que uma pessoa do município Inhapi havia sido presa na fronteira. Foi quando o chefe do 29° DP enviou e-mail para Polícia Federal, com a identidade do filho dessa senhora que estava desaparecido.

A Polícia Federal(PF) retornou confirmando que ele teria sido preso pela Adidância da Polícia Federal em Paris/França, ao desembarcar no Aeroporto Internacional Charles de Gaulle, em Paris, no dia 17 de julho do ano passado, supostamente por tráfico de drogas. O mesmo teria sido recolhido no Presídio Fleury Mérogis, desde o dia 20 de julho, sendo sua prisão do conhecimento do Consulado-Geral do Brasil em Paris.

Foi iniciado um trabalho integrado de informações entre a PCAL e a Polícia Federal, com objetivo de contribuir nas investigações que estão sendo realizadas para conclusão do inquérito policial.

"Em nome da Polícia Civil de Alagoas, me sinto gratificado em poder ter colaborado e dado apoio à Polícia Federal para que tivesse acesso a essas informações pontuais que contribuíram nas investigações desse caso e ter ajudado a uma mãe a saber sobre a situação do filho", disse o policial civil Fabiano Menezes.

*Com assessoria.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas