PM que atirou em jovem com problemas mentais agiu em legítima defesa

Homem, de 32 anos e que estaria em surto, teria partido para cima de militares com uma pedra, em ocorrência no mês de junho, em Rio Largo

A Polícia Civil de Alagoas (PC/AL) concluiu que a policial militar agiu em legítima defesa ao atirar em um jovem com transtornos mentais, durante uma abordagem policial. O caso aconteceu no dia 24 de junho, na cidade de Rio Largo. A informação foi repassada pelo delegado Igor Diego.

O homem, de 32 anos e que estaria em surto, teria partido para cima de dois militares com uma pedra, pois estava irritado porque não foi permitida sua entrada na casa da sua mãe. Dentro do imóvel, também estava o seu outro irmão. Ele ainda jogou duas vezes a pedra no para-brisa do veículo do irmão, segundo a PC.

Mesmo alertado e recebendo voz de parada, o autor partiu em direção à policial feminina, que, no cumprimento de cessar a ameaça, efetuou disparos no intuito de responder a agressão.

“Caso ela não tivesse repelido a injustiça agressão, poderia ter morrido ou se lesionado gravemente com o arremesso da pedra", informou a PC.

O homem foi socorrido, por uma guarnição da Polícia Militar, para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Tabuleiro dos Martins, em Maceió, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Foram colhidas imagens, ouvidas testemunhas, parentes do homem, bem como os policiais envolvidos na situação para a conclusão do inquérito.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p