Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > MUNDO

Presidente do Equador declara novo estado de emergência de segurança

Medida estará em vigor por 60 dias em sete das 24 províncias do país e em uma área em outra província


				
					Presidente do Equador declara novo estado de emergência de segurança
O empresário Daniel Noboa, de 36 anos, assumiu o poder em novembro por um período de apenas 18 meses. Getty Images via BBC

O presidente do Equador, Daniel Noboa, declarou um novo estado de emergência nesta quarta-feira (22) em sete das 24 províncias do país, e em uma área em outra província, citando um crescimento no número de mortes violentas e outros crimes nessas jurisdições.

A medida estará em vigor por 60 dias nas províncias de Guayas, El Oro, Santa Elena, Manabi, Sucumbios, Orellana e Los Rios, além de uma área da província de Azuay, segundo decreto assinado por Noboa, que, em janeiro, declarou o Equador em guerra e designou 22 gangues criminosas como grupos terroristas.

Leia também

O decreto foi enviado à Corte Constitucional, disse o governo mais cedo. A corte decidiu neste mês que uma declaração de emergência anterior em cinco províncias não havia sido suficientemente justificada e a cancelou.

Forças de segurança poderão entrar em casas e interceptar correspondência nessas províncias sem autorização prévia, determina Noboa, no decreto.

O presidente culpa gangues de drogas que transferem cocaína da Colômbia e do Peru por meio do Equador pela violência --- incluindo a invasão de uma emissora de televisão por homens armados em janeiro e agentes penitenciários tomados como reféns.

Ele já utilizou declarações de estado de emergência para intensificar operações policiais e militares para combater milhares de assassinatos e outros crimes.

O gabinete do procurador-geral investiga oito assassinatos extrajudiciais que teriam ocorrido durante o mais recente estado de emergência do país, após grupos de direitos humanos alertarem que as autoridades não estão adotando medidas para evitar abusos.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas