Chuvas fortes deixam mais de 50 mortos na África do Sul

Leste do país teve inundações e deslizamentos; centenas de pessoas foram retiradas de suas casas

Após as chuvas intensas e os deslizamentos de terra que atingiram o litoral do leste da África do Sul, agentes de resgate estão vasculhando edifícios que desmoronaram e deixou mais de 50 pessoas morreram, informaram as autoridades.
Centenas de pessoas foram retiradas de suas casas, a maioria na cidade portuária de Durban, na província de KwaZulu-Natal. Inundações também mataram ao menos três pessoas na província do Cabo Oriental, noticiou a emissora estatal SABC nesta quarta-feira.
Victor da Silva, morador da cidade litorânea de Amanzimtoti, disse que sua família conseguiu sair antes de as inundações destruírem sua casa e seus carros.
"Na segunda-feira, a água estava uma loucura. E ontem de manhã cheguei aqui, tudo estava bem, minha garagem ainda estava aqui, a outra parte da casa ainda estava aqui, e simplesmente não parava de chover", contou. "Então, uma hora e meia depois, tudo se foi, porque a chuva não parou mais".
Diversas moradias foram arrastadas por deslizamentos de lama, disse Robert McKenzie, porta-voz dos Serviços de Emergências Médicas de KwaZulu-Natal.
O presidente Cyril Ramaphosa visitou comunidades afetadas de KwaZulu-Natal e deve ir ao Cabo Oriental nos próximos dias.
"Isso se deve em parte à mudança climática, que nos atinge quando menos esperamos", disse, acrescentando que o governo providenciará fundos para auxiliar as pessoas atingidas pelas inundações.
Na semana passada, 13 pessoas morreram durante uma comemoração de Páscoa em KwaZulu-Natal quando o muro de uma igreja desabou depois de dias de chuvas e ventos fortes.