Comunidade de São Francisco mantém atividades após vandalismo

Igreja católica sofre com diversos ataques desde o mês de agosto, em Maceió

Após invasão e vandalismo, a Comunidade de São Francisco de Assis, no bairro da Levada, em Maceió, manteve suas atividades normalmente. É o que informou a comunicação da igreja na manhã desta segunda-feira (05).

"O som e os ventiladores foram danificados, mas, graças a Deus, não atrapalhou as atividades", afirma Carol Bulhões, responsável pela comunicação da paróquia.

Segundo ela, os invasores levaram somente a "vela do Santíssimo", apesar de ser um importante artefato religioso para a igreja.

O padre responsável pela paróquia, Adriano Vieira, realizou o Boletim de Ocorrência (BO) da invasão, mas a polícia ainda não identificou suspeitos da ação.

Relembre o caso

Durante a madrugada do sábado (3), a Comunidade de São Francisco foi invadida durante ato de vandalismo. Imagens divulgadas pela Arquidiocese mostram que o local ficou com ventiladores e demais equipamentos espalhados pelo chão após o episódio.

Em nota publicada nas redes sociais, a Arquidiocese de Maceió repudiou o ato. "Vândalos invadiram a Comunidade São Francisco de Assis - Brejal na tentativa de roubo. Foram danificados os ventiladores e parte do som de nossa Igreja".

Outros casos

Desde agosto, a comunidade católica enfrenta seguidos ataques a imagens e templos. O mais recente ocorreu no último dia 30, quando a imagem de Nossa Senhora das Graças, localizada no Jaraguá, amanheceu pichada com tinta vermelha.

Na ocasião, o arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz de Freitas, afirmou que "o vandalismo e intolerância religiosa ferem o diálogo e geram uma cultura de ódio".