Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > ESPORTES

Horner é inocentado e segue na RBR após investigação

Equipe mantém dirigente após processo conduzido por investigadores independentes que levou semanas; Horner chefia a RBR desde a fundação do time, em 2005

Quase um mês depois de uma acusação por suposta conduta imprópria vir à tona, Christian Horner foi inocentado, conforme revelado pela empresa-mãe da RBR nesta quarta-feira. O dirigente seguirá no cargo de chefe da equipe austríaca na F1. O processo durou semanas e foi conduzido por investigadores independentes à marca de energéticos.

- A investigação independente sobre as alegações feitas contra o sr. Horner está completa, e a Red Bull pode confirmar que a queixa foi dispensada. A reclamante tem direito a recurso. O relatório da investigação é confidencial e contém as informações privadas das partes e dos terceiros que auxiliaram na investigação, e por isso não comentaremos por respeito a todos os envolvidos. A Red Bull vai continuar a se esforçar para atender aos mais altos padrões no ambiente de trabalho - diz nota.

Leia também

O caso estourou no início de fevereiro após o jornal holandês De Telegraaf revelar que Horner estava sendo investigado; o dirigente negou as acusações. Em resposta, um porta-voz da empresa declarou que a companhia levava "o caso extremamente a sério", mas que não seria apropriado tecer mais comentários à época.

Em 6 de fevereiro, houve uma primeira reunião para definir se Christian tinha condições de seguir atrelado à marca de energéticos que dá nome ao time, mas o imbróglio seguiu sem resolução após um encontro de mais de 8h de duração.

Dez dias depois, uma nova reportagem do veículo holandês apontou que a conduta imprópria teria cunho sexual: Horner teria enviado mensagens sugestivas a uma funcionária por um "período de tempo considerável". Além disso, o britânico teria proposto um acordo de 650 mil libras esterlinas cerca de R$ 4,06 milhões) à denunciante. O advogado da funcionária teria submetido o histórico de mensagens como prova.

No dia 19 de fevereiro, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) se manifestou e reforçou estar comprometida com os mais altos padrões de "integridade, justiça e inclusão" dentro da F1, destacando ainda que não comentaria mais o caso até o fim da investigação.

Antes do veredito, a Ford - que fará parceria com a RBR e a RB (ex-AlphaTauri) a partir da F1 2026, em acordo de fornecimento de motores - se queixou da falta de transparência da RBR no processo. A marca americana cobrou um "relato completo de todas as descobertas" e destacou ter "valores inegociáveis".

Em meio ao processo nos bastidores, Horner seguiu desempenhando suas funções como chefe de equipe. Ele compareceu à primeira reunião da Comissão da F1, em Londres, e também acompanhou os testes de pré-temporada no Bahrein. Quando perguntado sobre a investigação, o chefe disse que o caso gerou uma "distração" na RBR, mas destacou o apoio recebido no time.

Christian Horner chefia a RBR desde a fundação do time, em 2005. Sob o comando do dirigente de 50 anos, foram seis títulos de construtores e sete de pilotos até aqui - quatro com Sebastian Vettel, já aposentado, e três com Max Verstappen. No total, incluindo ainda pilotos como Daniel Ricciardo, Sergio Pérez e Mark Webber, foram 113 vitórias, 95 pole positions e 264 pódios.

A F1 retorna neste sábado, 2 de março, com o GP do Bahrein, primeira de 24 etapas na maior temporada da história da categoria. Veja o calendário completo aqui. Na temporada 2024, o Cartola Express também terá a Fórmula 1 e você vai poder escalar os principais pilotos a partir do dia 25/02.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas