No finalzinho, CSA deixa escapar a vitória sobre a Chape e fica na 11ª posição na tabela: 1 a 1

Azulão fez o seu tento ainda na primeira etapa, com Rodrigo Rodrigues; já o time catarinense empatou com Pablo, nos acréscimos

Em duelo disputado no Estádio Rei Pelé, em Maceió, na noite bastante chuvosa desta terça-feira (7), o CSA passou quase o jogo inteiro vencendo a Chapecoense pelo placar magro de 1 a 0, mas, já nos acréscimos, levou o gol de empate, deixando a vitória escapar e o resultado final no 1 a 1. A partida foi válida pela 11ª rodada da Série B do Brasileiro.

Com este resultado, o Azulão agora é o 11º lugar na tabela, com 13 pontos; enquanto o time catarinense ocupa a 16ª posição, com 12 pontos. O gol azulino no embate, marcado por Rodrigo Rodrigues (o seu 13º tento nesta temporada) foi assinalado na primeira etapa. Já Pablo fez o da Chape nas acréscimos, aos 48 minutos. Veja como foi o Tempo Real!

O próximo compromisso do CSA pela Série B será no domingo que vem (12), contra a Tombense-MG, no Estádio Soares de Azevedo, onde a bola vai rolar a partir das 19 horas. E a Chape vai entrar em campo na sexta-feira (10), contra o Criciúma, na Arena Condá, às 21h30. Os dois jogos são pela 12ª rodada.

Olha aí o momento do gol do Azulão! - Foto: Ailton Cruz

1º Tempo

O CSA começou o jogo com duas faltas em seu favor, mas a cobrança de ambas não deu em nada. Chegando aos 5 minutos, o time azulino praticamente não conseguiu passar do meio-campo, tinha dificuldades. Além disso, errava demais. Aos 7 minutos, após cruzamento de Lucas Marques, Osvaldo bateu, à meia altura, mas a bola subiu demais, indo para fora, na melhor oportunidade azulina até o momento.

A Chape respondeu aos 10min, quando Tiago Real pegou o rebote, mas o goleiro defendeu com calma e retomou a partida. Aos 14 minutos o que podia se ver era que a Chapecoense conseguia criar mais e chegava melhor no ataque. Aos 15', em um bom momento da Chape, Luizinho tentou aproveitar a sobra da bola na pequena área, mas a defesa do Azulão chegou é afastou o perigo.

Aos 16 minutos, de novo a Chape tentou. O equatoriano Orejuela encontrou Pablo passando pelo corredor do meio, mas acabou errando o passe e deixou a posse da bola com o CSA. A partida chegava aos 20 minutos e nesse período foram 53% de posse de bola do CSA e 47% da Chape. O CSA tocava a bola, mas errava e levava contra-ataque de graça. O torcedor azulina se impacientava com o time e, na bronca, gritava das arquibancadas com o técnico Mozart. Isso com o duelo indo para os 25 minutos.

Aos 26 minutos, em uma boa falta para o Azulão, Osvaldo cobrou, batendo com perigo para a área, a bola quicou no gramado e foi direto para as mãos do goleiro Vagner. Aos 30 minutos, após cruzamento, Orejuela cabeceou a bola à esquerda do goleiro Carné, com perigo, mas, para a sorte azulina, a redonda foi para fora, em tiro de meta.

O jogo passava dos 30 minutos e houve somente três finalizações: duas para o Azulão e uma para a Chape. Era um confronto sem emoções, mas aos 34 minutos veio a emoção e foi para os azulinos. Gabriel achou a chance perfeita, correndo para o fundo, e fez o cruzamento perfeito para Rodrigo Rodrigues apenas matar e abrir o placar no Rei Pelé: 1 a 0.

A equipe do Verdão do Oeste estava controlando melhor a partida, mas depois do gol do CSA perdeu o ritmo, deixando a maior posse para o Azulão. E o jogo aproximava-se dos 40 minutos. Aos 42', um momento desagradável no jogo foi quando o goleiro Marcelo Carné foi tirar satisfação com Lucas Marques, ambos do CSA, e chegou até a ir para cima do zagueiro. Coisa feia entre companheiros de mesmo time!

E, sem mais emoções e sem acréscimos, o árbitro terminou o primeiro tempo, pontualmente, aos 45 minutos, com a vitória parcial do Azulão do Mutange: 1 a 0.

Mais de CSA x Chapecoense - Foto: Ailton Cruz

2º Tempo

Logo no primeiro minuto, após cobrança de escanteio, a bola foi cabeceada por Matheus Bianqui e, caprichosamente, bateu na trave azulina, para alívio do time de Mozart. O CSA respondeu com perigo aos 7 minutos, quando Osvaldo chutou uma bola cheia de veneno, mas viu o goleiro Vagner defender, espalmando e mandando para o meio do campo.

O CSA era melhor na partida e tinha poder de buscar o segundo gol, até mesmo para dar um maior alívio à equipe, uma vez que 1 a 0 não é um resultado tranquilo. Com as alterações feitas pelo técnico Gilson Kleina, a Chape melhorou na partida. Mas as equipes ainda erravam muito os passes, deixando o duelo monótono, sem boas chances.

Aos 17min, Gabriel chegou com perigo na pequena área, chutou em cima da defesa. Osvaldo tentou aproveitar a sobra, mas o goleiro defendeu. Chegando aos 20 minutos, o técnico Mozart também passou a fazer mudanças em sua equipe, pois viu a Chape melhorar em campo e o CSA passava sufoco.

A Chapecoense perdeu um gol incrível, aos 25 minutos. Derek limpou a jogada no meio campo e disparou. Cara a cara com Carné, ele chutou no cantinho, mas a bola foi para fora. Chegando aos 30 minutos, mais mudanças foram feitas, tanto no Azulão, que passava sufoco e passou a se fechar todinho, quanto na Chape, que queria ao menos o gol da igualdade.

Aos 35 minutos, a Chape tentou, quando Maranhão deu uma cabeçada na bola, mas Marcelo Carné segurou a bola. O jogo passou a ficar dramático para o CSA, que teve até um bom início nesse segundo tempo, mas não conseguia acertar o pé. E a partida aproximava-se dos 40 minutos, com o time azulino fazendo de tudo para segurar o resultado. Sem falar que jogadores passaram a ficar amarelados na partida.

E, falando em cartões, um vermelhinho saiu, aos 43 minutos, para um jogador da Chapecoense: Chrystian, que tinha acabado de entrar. Mas ao rever no VAR o lance da falta em cima do jogador do CSA, o árbitro reverteu a punição e deu apenas o amarelo para o atleta do time catarinense.

O árbitro deu 6 minutos de acréscimos. Aos 48 minutos, a Chape fez o seu golzinho, com Pablo, o assistente invalidou, marcando impedimento. A jogada foi verificada pelo VAR e o árbitro acabou validando o gol. Tudo igual: 1 a 1. Para tristeza e irritação da torcida azulina no Rei Pelé. O confronto teve mais 3 minutos de acréscimos e, aos 54', foi encerrado.

CSA bobeou e deixou escapar a vitória - Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica

CSA - Marcelo Carné; Lucas Marques, Wellington, Lucão e Diego Renan; Geovane, Gabriel (Igor) e Lourenço (Yann Rolim); Osvaldo (Felipe Augusto), Lucas Barcelos (Giva Santos) e Rodrigo Rodrigues (Sassá). Técnico: Mozart Santos.

Chapecoense - Vagner; Pablo, Léo, Vitor Ramos e Fernando; Matheus Bianqui (Pablo), Marcelo Freitas (Lima) e Tiago Real; Luizinho (Maranhão), Orejuela (Chrystian) e Jonathan (Derek). Técnico: Gilson Kleina.

Árbitro - Dewson Fernando Freitas da Silva (CBF-PA).

Assistentes - Marcio Gleidson Correia Dias (CBF -PA) e Helcio Araujo Neves (CBF-PA).

Quarto árbitro - Helder Brasileiro de Aquino (AL).

Árbitro de Vídeo (VAR) - Marcio Henrique de Gois (SP).

Assistente do VAR - Fábio Rogério Baesteiro (SP).