Artigo | Dra. Danielle Durães Nobre - CRO/MG:35923

Como anda sua relação com o dinheiro?

Acredite, você não está sozinho e suas questões financeiras não são apenas suas. Milhares de pessoas estão passando pelo mesmo que você está passando hoje ou já passou dia.

Dra. Danielle Durães Nobre - CRO/MG:35923

Cirurgiã Dentista pela Unimontes (Universidade Estadual de Montes Claros) Especialista em Ortodontia (Funorte/ Soebras) Odontologia Oncológica (A.C.Camargo/SP) Laserterapia (Iknow Ondonto) Montes Claros/ MG

Aposto que a maioria das pessoas dirão que nunca se importaram com o dinheiro, tão pouco com a sua relação com ele. Sabem apenas que precisam trabalhar, ganhar dinheiro, pagar as contas e, quem sabe, fazer uma poupança.

O comum é ver as pessoas guardando para si dúvidas, medos e desconfortos relacionados ao dinheiro e passando a impressão de quem sabe o que está fazendo, de quem administra bem seus recursos (mesmo frente a uma crise econômica de âmbito mundial como a que estamos vivendo nesse momento). Enquanto a verdade, querido leitor, é que estamos todos bem perdidos, cheios de dúvidas quanto ao amanhã, torcendo para que o dinheiro não falte e que essa pandemia acabe como num passe de mágicas. Estamos todos buscando respostas para nossas próprias questões esperando, no fundo, apenas um pouquinho de paz.

Só não reconhecemos! Não abrimos o que, de fato, acontece dentro das nossas questões financeiras. Não falamos sobre essa questão de forma mais profunda, mais consistente. E se alguém pergunta como andam suas finanças você pode até soltar um “tá difícil” e reclamar da sorte, do governo, do mercado, da pandemia... mas e aí? Qual é de fato a sua questão? Porque é tão dolorido encarar a situação financeira?

Existem pessoas que estão endividadas e morrem de vergonha de falar aos amigos que seu salário mal dá pra pagar as contas básicas do mês, outras até ganham bem, mas com medo de não poder viver um futuro mais distante preferem torrar tudo que ganham, outras estão enfiadas em um mar de dívidas sofrendo ameaças e pressões psicológicas por parte dos credores, outras não aguentam mais trabalhar no emprego atual e sonham com algo melhor, algo que converse com seu propósito de vida e uma mínima fração de pessoas está conseguindo manter seus investimentos acreditando que dias melhores também virão para quem investe. Não posso deixar de falar daquelas que se sentem tão vulneráveis quando o assunto é dinheiro que acabam fingindo que não ligam pra ele. Esse comportamento se dá, na maioria dos casos, como uma fuga para que elas não se percebam tão incapazes de lidar com sua própria vida financeira.

Acredite, você não está sozinho e suas questões financeiras não são apenas suas. Milhares de pessoas estão passando pelo mesmo que você está passando hoje ou já passou dia.

Por isso compartilhe suas experiências, fale de suas dores, de suas conquistas e dos seus medos! Essa é a melhor maneira de contribuir para ajudar o próximo e para receber ajuda, afinal de contas, o que todos estão buscando é, de alguma forma, ser feliz e aproveitar um pouco mais a vida que lhe sobra quando não estão dedicados ao trabalho em busca do dinheiro.