Facebook proíbe volta de Trump até 2023 e anuncia mudança de regras

Decisão ocorre em resposta a comitê que votou por manter o ex-presidente americano fora da plataforma

O Facebook anunciou nesta sexta-feira (4) que o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump ficará banido da plataforma por pelo menos dois anos, contados a partir do dia 7 de janeiro deste ano, um dia depois do ataque ao Capitólio, a sede do Legislativo americano.

De acordo com o comunicado publicado no blog da empresa e assinado por Nick Clegg, vice-presidente de assuntos globais do Facebook, a decisão estabelece um limite de tempo consistente para a suspensão —até agora, não havia um prazo determinado para que o republicano pudesse voltar à plataforma. "Dada a gravidade das circunstâncias que levaram à suspensão do Sr. Trump, acreditamos que suas ações constituíram uma violação grave de nossas regras que merecem a maior penalidade disponível nos novos protocolos", diz Clegg.

O ex-presidente foi acusado de não apenas incentivar seus apoiadores a invadirem o Congresso, mas também de louvar o ato, o que lhe rendeu o banimento em outras plataformas, como o Twitter, e um segundo processo de impeachment pouco antes do fim do mandato —no qual acabou sendo absolvido.

Desde 2016, a rede de Mark Zuckerberg aplica testes a publicações feitas por políticos com o objetivo de comparar o caráter noticioso do conteúdo à sua propensão de causar danos. Agora, o Facebook pretende descartar essa comparação, que muitas vezes dava aos políticos um tratamento diferenciado na plataforma em relação aos outros usuários.