Promessa do vôlei nacional: alagoano de 15 anos é contratado pelo Praia Clube

Atleta agora encara, aos 15 anos, uma mudança para outro estado e a responsabilidade de dividir apartamento com outros colegas

Cauê Vinícius Silva Mata tem 15 anos e é jogador de voleibol. Nascido e criado em Maceió-AL, o garoto já é uma revelação para o esporte alagoano. Mesmo com a pouca idade, a ‘responsa’ é de gente grande. Após três fases de uma seletiva, Cauê recebeu um convite para jogar no Praia Clube, sediado em Uberlândia, município de Minas Gerais.

Cauê embarcou para a nova aventura esportiva no dia 1º de fevereiro, deixando sua terra natal e seu antigo clube, o Pajuçara Esporte Clube, para se apresentar ao novo clube. Sobre a ida para outro estado e viver a atmosfera de uma equipe diferente, Cauê comentou: “A sensação é magnífica, fazer uma coisa que eu amo não tem obstáculo que atrapalhe.”

Cauê junto à equipe do Pajuçara Esporte Clube (PEC) - Foto: Cortesia

Giulianna Karina Silva Mata, mãe do atleta, falou com a GazetaWeb sobre a nova fase que seu filho irá encarar e disse: “É uma mistura de vários sentimentos juntos, de alegria e tristeza! (risos)”, e continuou: “Estou feliz por ele estar conseguindo realizar o sonho dele, mas é triste porque ele era meu companheiro”.

A mãe de Cauê disse, ainda: “Ele precisava mostrar seu potencial e surgiu esta grande oportunidade de jogar em um dos maiores clubes, que é o Praia Clube, e só vai prepará-lo ainda mais para se tornar um grande atleta e lançar voo para outros clubes e até de outros países”. E ela ainda complementou: “Mas em casa está um vazio imenso. Porém, o que me conforta é saber que ele está seguindo seu sonho, mesmo com pouca idade, ele sempre fez bem e com perfeição tudo aquilo que gosta. Ele tem foco e determinação. Sempre acreditei no potencial dele e por isso ele chegou onde está.”

Luciano Anderson dos Santos Mata, pai do garoto, também falou sobre a viagem do filho: “Como existe aquele ditado: ‘a gente cria os filhos pro mundo’, e o Cauê é um menino muito dedicado, com o que ele quer. E conversamos muito com ele, se era mesmo o que ele queria e não teve outra, ele disse: ‘é o que eu quero ser, pai. Jogador de vôlei é meu sonho’. Além disso, o Cauê falou que queria dar uma vida melhor para a mãe, para a irmã e para quem está ao redor dele”.

A promessa do garoto parou até mesmo os pais do também alagoano Maurício Borges, jogador da Seleção Brasileira de Voleibol, que chegaram a comparar o início de carreira do jogador da seleção canarinho com a do garoto. Haja coração, garoto!

Cauê à esquerda junto aos colegas que se apresentaram juntos no último dia 1 - Foto: Cortesia

"Responsa" dobrada

Diante da responsabilidade de dividir apartamento com outros atletas da mesma idade (onde os pais farão um revezamento para manter a organização), a ‘responsa’ só aumenta e Cauê, por sua vez, mesmo com a pouca idade, sabe que o amadurecimento para um atleta é necessário. “Vir jogar em outro estado acaba me amadurecendo e me tornando um atleta com pensamentos mais sérios e focados”.

Diferentemente do futebol, o calendário do vôlei é menor, então, a pré-temporada do Praia Clube irá demorar bastante. Cauê sabe que tem que focar e pretende estar no topo da forma física para contribuir com a camisa que vestirá a partir deste momento.

Aos 15 anos, qualquer um estaria nervoso com o calibre desta novidade, pois a vida do atleta não será a mesma, já que o Praia Clube é uma das maiores forças do vôlei nacional. Quando perguntado sobre a expectativa para os próximos meses e sobre o desempenho pessoal do atleta, Cauê fala com alegria e muita vontade de estar ao lado dos companheiros em quadra.

“Estamos na pré-temporada, no caso são 12 semanas de muito esforço e dedicação para que nos outros meses eu possa entregar o melhor desempenho da minha forma física e psicológica, mas nada tira a ansiedade de ver a evolução mês a mês”, encerrou, com alegria estampada no rosto.