Precisando vencer para avançar, ASA enfrenta Rio Branco por vaga nas quartas da Série D

Após empate por 0 a 0 no confronto de ida, Alvinegro espera casa cheia no Fumeirão, para lutar pela vida na 4ª divisão

Chegou a hora de mais uma decisão na Série D. O ASA entra em campo, neste domingo (14), às 16 horas (horário de Brasília), para duelar com o Rio Branco por uma vaga no mata-mata do acesso da competição. Será o confronto de volta das oitavas, após um polêmico e disputado empate por 0 a 0, em terras acrianas. O embate será no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca.

Cenário

Nas oitavas da Série D, não há vantagem do gol fora. Desta forma, avança aquele que vencer no Fumeirão. Por outro lado, em caso de qualquer empate, o classificado será definido nos pênaltis. Quem avançar, precisará esperar a definição dos outros confrontos, já que nas quartas, os jogos são definidos por cruzamento olímpico.

As equipes chegam para a partida em Arapiraca, praticamente, em pé de igualdade. Contudo, é importante ressaltar que o empate no Acre foi benéfico para o Gigante, que tem a vantagem de decidir em casa por conta de sua campanha, somando todas as fases anteriores. Na segunda fase, o ASA eliminou o Afogados com duas vitórias, enquanto o Estrelão derrubou o Pacajus nos pênaltis, após dois empates.

ASA

Arapiraca vive um misto de apreensão e otimismo com o jogo de logo mais. A promessa é de casa cheia no Fumeirão, principalmente após a promoção de ingressos feita pela diretoria alvinegra. Na 2ª fase, contra o Afogados, a torcida compareceu em grande número, ocupando cerca de 4 mil lugares do estádio. Contra o Rio Branco, esse número deve ser maior.

Em campo, Jota esquentou a cabeça. Na partida de ida, o treinador acabou perdendo seus dois zagueiros, Brumati e Cris Lucca, ambos expulsos. Com isso, a lista para substituí-los é vasta. Benne, que é zagueiro de origem, surge como peça praticamente certa no time titular. Já a outra vaga fica entre Alysson Dutra, Iverton e Marco Antônio.

Benne deve assumir a titularidade no pilar defensivo do Gigante - Foto: Ailton Cruz

Lesionado, Júnior Viçosa também está fora e seu retorno está previsto somente para uma futura semifinal. Contudo, o ataque também tem algumas dúvidas. Didira começou como titular em Rio Branco, mas Xande, grande peça ofensiva, também briga por vaga. No entanto, quem tem vaga garantida são Anderson Feijão, Roger Gaúcho e Ermínio.

Sem outros suspensos ou desfalques, o Fantasma deve jogar ofensivamente. Desta forma, a provável escalação do ASA é: Renan Rinaldi; Michel Tiago, Benne, Alysson Dutra (Iverton ou Marcão) e Thallyson; Zé Wilson, Colina e Roger Gaúcho; Didira (Xande), Anderson Feijão e Ermínio.

RIO BRANCO

Assim como a viagem do ASA para o Acre foi bem longa, a vinda do Estrelão para Alagoas não foi fácil. Desde quarta-feira (10) em solo alagoano, o Rio Branco completou a sua preparação em Maceió e viajou para Arapiraca apenas neste sábado (13), um dia antes do confronto.

Para encarar o Gigante, o Estrelão também tem problemas na defesa. Enquanto Cris Lucca e Brumati foram expulsos no Alvinegro, o Alvirrubro perdeu os também zagueiros Hiago Santos e Yago Ramon. O grande problema no time acriano é que na lista de relacionados só há um zagueiro de origem, que é Hugo. Com isso, provavelmente Nathã deverá ser improvisado.

Na semana passada, condição do meia Luan causou preocupação no pessoal do Rio Branco - Foto: Reprodução

Uma notícia boa para o torcedor riobranquino é Luan. Depois de sofrer um mal súbito no embate da ida, o meia conseguiu se recuperar, mas deve iniciar na reserva. Com 21 peças disponíveis, o técnico Bruno Monteiro não deve fugir do seu estilo de jogo, escalando: Evandro Gigante; Isaías, Hugo, Nathã (Jhonson) e Negueba; Jackson, André Lessa, Marcão (Wilker) e Matheus Nego; Rabiola e Wanderson.

Arbitragem

Vinícius Gomes do Amaral (CBF/MG), que costuma apitar jogos das Séries B e C, será o árbitro principal. Ao seu lado, como bandeirinhas, estarão Fernanda Nândrea Gomes Antunes (FIFA/MG) e Magno Arantes Lira (CBF/MG). O quarto árbitro será Jonata de Souza Gouveia (CBF/AL).