CRB ressurge nos minutos finais e consegue empate de 1 a 1 contra o Vasco

Resultado garante a equipe dentro do G-4 por pelo menos mais uma rodada

A noite desta quinta-feira (16) foi cheia de emoções para o CRB. Jogando no Rei Pelé, em partida válida pela 24ª rodada da competição nacional, o Galo acabou sofrendo em uma dura partida contra o Vasco, porém encontrou o 1 a 1 na reta final. O time carioca vencia até os acréscimos do segundo tempo, quando sofreu o empate. O tento vascaíno foi marcado pelo argentino Germán Cano, enquanto Renan Bressan fez o do Regatas.

O resultado não mudou a posição regatiana no G4. O time ainda é o quarto colocado, com 41 pontos, entretanto garantiu mais uma rodada dentro do grupo dos quatro melhores. Já o Vasco decepcionou e se manteve na 10ª colocação, com 33 pontos, podendo ser ultrapassado pelo Remo, que ainda joga na rodada. Clique aqui para ver como foi a partida no Tempo Real da Gazetaweb!

Na próxima rodada, o Vasco terá páreo duro jogando em São Januário. O clube terá um clássico nacional contra o Cruzeiro, domingo (19), às 16h. O jogo tem a possibilidade de receber público, mas o assunto ainda será debatido. Já o Galo terá um adversário que tem outras intenções: o Brasil de Pelotas. O Regatas viaja para o interior gaúcho. A partida está programada para terça (21), às 19h.

1º Tempo

Os minutos iniciais foram de muito estudo, principalmente do lado regatiano, que pouco tocou na bola. O Vasco tentou implantar logo de cara o estilo de jogo ofensivo e de posse de bola do técnico Fernando Diniz. A primeira chance, porém, veio na bola parada. O estreante Nenê arriscou de muito longe, aos nove minutos, mas Diogo Silva segurou firme. A resposta regatiana foi com muito mais perigo. Nicolas Careca recebeu lindo lançamento, ficou cara a cara com Vanderlei, mas o arqueiro vascaíno fez a parede e salvou.

Primeiro tempo teve poucas chances criadas, principalmente do lado vermelho - Foto: Ailton Cruz

Aos 15 minutos, um pesadelo comum assombrou o clube carioca: gol na bola aérea. Caetano conseguiu estufar as redes após bola cruzada por Diego Torres, mas, após a análise do VAR, o gol foi anulado por impedimento, sendo um alívio para o Vasco. Mesmo com as poucas chances criadas pelas equipes, o Gigante da Colina apareceu aos 26 com um bombardeio. Foram três tentativas de finalização, até o argentino Germán Cano chutar em cima de Diogo Silva, que agarrou firme.

Os cariocas começaram a crescer na reta final do primeiro tempo. Com um massacre nas finalizações, Andrey mandou um chute de média distância, fazendo Diogo Silva espalmar nos pés de Cano, porém, desequilibrado, o atacante perdeu o lance, com 31 minutos. Pouco depois, aos 35, o Vasco teve uma falta perigosa no lado esquerdo. Nenê e Andrey fazem jogada ensaiada, contudo, o volante finalizou pra fora, com muito perigo.

O jogo ficou em uma sintonia muito homogênea no final do primeiro tempo, seguindo sem grandes oportunidades, mas com o Cruz-Maltino tentando ser mais insinuante. Diego Torres até teve suas tentativas na bola parada, porém pouco aproveitou.

O Vasco conseguiu surpreender no minuto final. Sendo vítima de jogadas aéreas, o clube carioca usou dessa arma para tirar o zero do placar. Em escanteio aos 48 minutos, Ricardo Graça deu um desvio e o artilheiro Germán Cano mandou bonito para o gol regatiano. O gol vascaíno foi o ato final do primeiro tempo: 1 a 0.

2º tempo

Allan Aal fugiu das suas características e veio do intervalo com duas mudanças: Celsinho e Jean Patrick entraram. O time tentou aparecer mais no campo ofensivo e isso aconteceu aos 4', quando Nicolas Careca recebeu um passe dentro da área, porém não dominou bem. Com 6 minutos, o Galo veio pelo alto, com Ewerton Páscoa, todavia, Vanderlei espalmou e livrou o perigo. Os primeiros minutos da etapa final foram dos clubes tentando controlar a posse.

Segundo tempo seguiu com poucos sustos para os goleiros - Foto: Ailton Cruz

Aos 21 minutos, Allan Aal já tinha feito suas cinco alterações, já no desespero de buscar o gol de empate. Pablo Dyego teve uma chance de finalização aos 24 minutos, mas mandou pra fora. Fernando Diniz respondeu às alterações de Aal colocando Bruno Gomes, fechando mais o meio de campo. Apesar disso, o Regatas seguiu em cima, principalmente utilizando as bolas aéreas, o principal defeito vascaíno.

Diniz abriu mão de suas características para tentar garantir os três pontos essenciais na briga pelo acesso. Jogando no contra-ataque, o Vasco quase ampliou aos 36 minutos. Andrey lançou Gabriel Pec livre, dentro da área, porém o camisa 11 chutou cruzado, sem muita força, permitindo a defesa de Diogo Silva. Na resposta, Brandão falhou em um lance dentro da área, que não assustou os cariocas.

O Vasco apareceu na bola aérea. Marquinhos Gabriel tentou bola alta aos 41 minutos, mas a defesa regatiana tirou o perigo. Os minutos finais foram tensos, mas a estrela regatiana brilhou. Renan Bressan entrou pelo lado esquerdo da área vascaína e bateu no canto de Vanderlei, que não alcançou: 1 a 1 no apagar das luzes. Recuado, o time carioca não partiu pra cima e, apesar de um bom momento no jogo, o Galo não conseguiu a virada. Final: 1 a 1 com gosto de vitória para os alagoanos.

Renan Bressan foi o herói regatiano na partida - Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica

CRB - Diogo Silva; Reginaldo (Celsinho), Ewerton Páscoa, Caetano e Guilherme Romão; Marthã, Wesley (Jean Patrick) e Diego Torres (Renan Bressan); Pablo Dyego, Jajá (Alisson Farias) e Nicolas Careca (Júnior Brandão). Técnico: Allan Aal

Vasco - Vanderlei; Léo Matos, Ricardo Graça, Leandro Castán e Zeca; Andrey (Caio Lopes), Marquinhos Gabriel e Nenê (Figueiredo); Morato (Gabriel Pec), Léo Jabá (Bruno Gomes) e Germán Cano. Técnico: Fernando Diniz

Cartões Amarelos - Andrey (Vasco); Reginaldo (CRB); Ewerton Páscoa (CRB); Guilherme Romão (CRB); Júnior Brandão (CRB)

Árbitro - Luiz Flavio de Oliveira (FIFA)

Assistentes - Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (CBF) e Fabrini Bevilaqua Costa (FIFA)

VAR - Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (FIFA)

Assistente de vídeo - Daniel Luis Marques (CBF-SP)