Com 7 empates em casa, Daniel Paulista reconhece os erros do CRB e diz que todos são e serão cobrados

Galo precisa agir para voltar a finalizar com qualidade; time enfrenta o Grêmio, em casa, no dia 13

O CRB empatou na noite dessa quinta-feira (4), com a Ponte Preta, com o resultado insosso de 1 a 1. O Galo começou a partida abrilhantando os olhos dos torcedores, com um time marcando bem as saídas de bola e matando as jogadas alvinegras, porém, como nem tudo são flores para o torcedor regatiano, não demorou muito e o empate estava entregue.

A partida do Galo da Praia poderia ter tido um rumo diferente. Aos 38 minutos do segundo tempo, o atacante Paulinho Moccelin teve uma oportunidade de ouro, na cara do gol, mas chutou errado, deixando a virada como meta aberta. O problema do CRB, segundo o próprio técnico Daniel Paulista, seriam as finalizações e lembrou que não existe jogo ganho. Comentando sobre a partida, o mandante regatiano disse:

"Um gosto amargo pelo resultado. Mais um jogo dentro de casa e desperdiçamos a oportunidade de sair com a vitória. Dentro do jogo, tivemos até as melhores oportunidades, mas não conseguimos ser efetivos. Foi um jogo muito disputado, de muitos confrontos individuais. O gol de falta complicou a dinâmica do jogo. Conseguimos fazer o primeiro gol, mas, num lance de bola parada, sofremos o empate. O jogo foi equilibrado, mas as melhores chances foram do CRB. Só que não fomos efetivos. Por isso, posso dizer que não fomos merecedores da vitória".

Outra pulga atrás da orelha do apaixonado pelo Clube de Regatas é a quantidade de empates. O CRB tem o décimo melhor ataque da competição, até o momento, com 20 gols marcados, e abocanhou, em casa, 7 dos 8 empates que a equipe possui nesta Série B.

A quantidade de empates em casa assusta. Pensando no desenvolvimento do time no restante da competição, os jogadores precisam suar para encarar os próximos adversários.

Para reforçar o time, o treinador falou que, nos treinos, todos vêm sendo cobrados individualmente para darem o seu melhor dentro das quatro linhas. Segundo Daniel, a preocupação maior é com a finalização, que precisa estar afiada.

"Internamente, as cobranças são feitas, como sempre fizemos, até porque os erros acontecem em todos os jogos. O mais difícil é criar, e criamos oportunidades, até cara a cara com goleiro, e não conseguimos aproveitar. Vamos descansar agora os atletas e avaliar como estão os jogadores que ficaram fora por lesão para que, contra o Náutico, tenhamos uma equipe bem preparada".

O Galo da Praia terá jogos complicados daqui até o fim das 38 rodadas da Segundona. Além do Náutico, na quarta-feira (10), o CRB recebe em casa o Grêmio, no outro sábado (13), depois viaja para enfrentar o Sampaio Corrêa, fora de casa, no dia 20 deste mês, e, após o compromisso contra a Bolívia Querida, retorna para Maceió e recebe o Criciúma, no dia 27.