FAF lança cartilha de combate ao racismo e campanha 'Assédio Não'

Faixas, panfletos e cartazes foram exibidos nas partidas do fim de semana, válidas pelo Campeonato Brasileiro

A campanha "Assédio Não – Dignidade para Todos", desenvolvida pelo Ministério Público de Alagoas (MPAL), com a participação da Federação Alagoana de Futebol (FAF), foi destaque nos estádios de futebol em Alagoas no último fim de semana. Além disso, a FAF vem se destacando por tem lançado uma cartilha anti-racismo.

Em entrevista ao programa Bola Quente, da Rádio Gazeta 94.1 FM, o presidente da FAF, Felipe Feijó, comentou sobre o racismo e classificou como um desafio a ser enfrentado.

"É um desafio que a humanidade vem enfrentando recentemente. São problemas sociais e o racismo é mais um deles. Hoje têm algumas situações muito claras que afastam os torcedores dos estádios. São problemas que estão enraizados na sociedade. A gente tem que usar a exposição que o futebol dá de maneira positiva".

"Parece que falta um pouco de empatia das pessoas no mundo que a gente vive. Para mim, fica cada vez mais claro que as pessoas cometem determinados crimes como o racismo e a manipulação de resultados, sem ter o conhecimento".

A ideia da FAF é que haja uma conscientização maior para os torcedores e atletas que recebam a cartilha.

Felipe Feijó esteve presente no estúdio do Timaço, nesta terça-feira - Foto: Fernanda Medeiros

"O Brasil é um país muito misturado e a gente tem que respeitar essas diversidades. A gente tem que mostrar o que é, o que acontece e as consequências. A gente pode começar a fazer essas conscientização, desde o torcedor, até o atleta, nas categorias de base, inclusive".

Felipe relembrou recentes casos de assédio e racismo no futebol alagoano. "Tivemos, recentemente, nas nossas competições, racismo sofrido por um integrante da imprensa. Uma garota que denunciou um caso de assédio em Arapiraca. Então, as situações que a gente enfrenta, não são alheias a nossa realidade. Recentemente, nessa campanha contra o assédio, a gente se associou ao MP. Futebol tem uma visibilidade maior. Futebol tem que se aliar a essas boas campanhas. Usar a visibilidade que tem e dar o ponto de partida. É importante a Federação sair na frente".

Panfletos com informações da campanha foram distribuídos para o público em geral, nos jogos do Campeonato Brasileiro Séries B, C e D - no caso, CSA x São Bernardo e CRB x Juventude, no Estádio Rei Pelé, em Maceió; e no duelo Cruzeiro x Falcon, no Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca.

Cartazes também foram fixados em locais de grande movimentação nos estádios. Inclusive, na partida entre CSA e São Bernardo-SP, no Rei Pelé, os jogadores do Azulão posaram com uma faixa da campanha, contendo a frase: "Dignidade para todos".

Campanha contra assédio no trabalho foi exibida no Estádio Rei Pelé, em jogo do CSA - Foto: Augusto Oliveira/FAF

Segundo a FAF, a distribuição dos panfletos, bem como ações da campanha, vão continuar nos jogos em Alagoas. Na semana passada, o presidente da entidade alagoana, Felipe Feijó, esteve na sede do MPAL e se reuniu com o subprocurador-geral administrativo institucional, Lean Araújo, quando foi discutido o assunto.

Idealizada pelo Ministério Público de Alagoas (MPAL), a campanha conta com a participação do Governo do Estado, órgãos do Sistema de Justiça e a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA).

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p