Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > POLÍTICA

Renan anuncia saída de comissão: “CPI domesticada”

Decisão ocorre após Omar Aziz escolher Rogério Carvalho como relator da CPI da Braskem

O senador de Alagoas Renan Calheiros (MDB) decidiu, na noite desta quarta-feira (21), sair da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem. A decisão do parlamentar ocorreu após o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), escolher Rogério Carvalho (PT-SE) como relator.

Renan Calheiros disse que optou sair da CPI porque existiram, segundo ele, manobras para domesticá-la. Calheiros esperava que ele fosse o escolhido para fazer a relatoria.

O papel do relator de comissão consiste em, ao final da investigação dentro do parlamento, fazer uma relatório, dando o seu parecer sobre todas as informações levantadas. O parecer é votado pelos membros, que decidem se concordam ou não com o posicionamento do relator.

O parlamentar alagoano, inclusive, foi quem tomou a iniciativa para que a CPI da Braskem fosse instaurada no Senado. "Diante de manobras na tentativa de domesticar a CPI, decidi não participar da comissão", afirmou o senador.

Artigos Relacionados

Aziz justificou que não escolheu Renan Calheiros porque a relatoria precisa ser "totalmente isenta". Durante a reunião de escolha do relator, realizada nesta quarta, Omar enviou recado para o alagoano.

"Sei da sua preocupação com o seu estado, sei que Vossa Excelência tem o interesse de investigar a fundo e deve contribuir com esta CPI como membro", disse Aziz a Renan.

Em resposta, Renan leu um discurso para renunciar à comissão. Ele discordou de Aziz quanto à isenção, afirmando que, por ser de Alagoas, tem legitimidade para atuar como relator.

"Eu teria legitimidade maior ainda para defender os interesses do Estado. Respeito Rogério, é um amigo, mas não vamos aceitar porque esta designação é prejudicial aos interesses do estado. Mesmo tendo criado a CPI e coletado as assinaturas, deixo esta comissão exatamente em respeito à decisão de Omar, por não concordar com o encaminhamento da relatoria", registrou Renan.

Omar Aziz disse que a população de Alagoas poderá ter certeza de que a CPI vai investigar de forma séria a responsabilidade da Braskem. Ele também ressaltou que o compromisso é “levantar todos os cadáveres” que fizeram Maceió chegar a essa situação. Segundo Omar, na próxima terça-feira (27), às 10h, o relator deverá apresentar o plano de trabalho.

A CPI foi criada, por meio de um requerimento do senador Renan Calheiros, para investigar os efeitos da responsabilidade jurídica e socioambiental da empresa Braskem no afundamento do solo em Maceió.

Os bairros de Pinheiro, Mutange e Bebedouro estão entre os mais atingidos. Além deles, foram afetados o Bom Parto e parte do Farol. Com 11 membros titulares e sete suplentes, a comissão tem até o dia 22 de maio para funcionar.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas