Três homens são presos no PI suspeitos de matar policial de Alagoas que foi cobrar dívida de contrabando

O subtenente e as pessoas que estavam com ele viajaram de Alagoas até Teresina para cobrar dívida de mais de R$ 1 milhão, referente a uma carga de cigarros contrabandeados

Três homens foram presos nesta terça-feira (4) suspeitos do assassinato do subtenente da reserva da Polícia Militar de Alagoas João Wellington Bezerra Lins, em março de 2021. Segundo a Polícia Civil do Estado do Piauí (PC/PI), onde ocorreram as prisões e o crime, o policial foi morto quando cobrava uma dívida relacionada a uma carga de cigarros contrabandeada.

As prisões aconteceram em Teresina e na cidade de Cabeceiras, em cumprimento a mandados de prisão. Com os suspeitos, foi apreendida uma farda da Polícia Militar do Piauí, duas espingardas, dois rifles e uma pistola calibre 380, e munições.

Segundo o delegado Genival Vilela, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa da PC/PI, os três suspeitos estavam na cena do crime e responderão pelo homicídio. Durante a prisão de dois deles, que ocorreu em Teresina, os suspeitos ameaçaram os policiais, afirmando que atirariam caso eles invadissem a casa. O lugar foi cercado e os suspeitos se entregaram depois que os policiais negociaram com eles.

Dívida de contrabando

Segundo as investigações, o policial e as demais pessoas que estavam com ele, viajaram de Alagoas até Teresina para fazer uma cobrança de uma dívida de mais de R$ 1 milhão, referente a uma carga de cigarros contrabandeados. Durante a cobrança, o policial foi baleado.

O crime aconteceu no bairro Poti Velho, na Zona Norte de Teresina, na frente da casa de um dos suspeitos presos. Segundo o delegado Francisco Costa, coordenador do DHPP, o grupo foi atraído para uma emboscada.

"Sabemos que, no local, chegaram quatro pessoas em um veículo preto, já atirando. Um dos tiros acabou atingindo o subtenente, que não resistiu aos ferimentos e veio a óbito", disse o delegado.

As outras três pessoas que estavam no carro prestaram depoimento e foram liberadas em seguida. A princípio, elas teriam relatado que estavam em Teresina para cobrar a dívida de um carro, no valor aproximado de R$ 75 mil. Entretanto, os policiais descobriram que a dívida era, na verdade, referente a uma carga de cigarros contrabandeados.