Homem que recebeu auxílio-doença de forma indevida é ouvido pela PF em Alagoas

Mandados para combater um esquema de fraudes na Previdência Social foram cumpridos no DF e nos estados de Alagoas, Bahia e Goiás

Durante a operação de combate a um esquema de fraudes na Previdência Social, a Polícia Federal (PF) cumpriu, nesta quinta-feira (18), um mandado de busca e apreensão em Alagoas. Um homem que foi beneficiado pelo esquema e recebeu auxílio-doença de forma indevida foi ouvido na sede da PF em Maceió e, em seguida, foi liberado pela autoridade policial.

De acordo com a assessoria de comunicação da PF/AL, o homem não soube precisar por quanto tempo vinha recebendo o auxílio, indevidamente, mas disse acreditar que já tem mais de dois anos. Ele teria sido beneficiado pelos autores do esquema que estão sendo investigados em Brasília.

A operação deflagrada nesta quinta-feira cumpriu 22 mandados de busca e apreensão e um de prisão, no Distrito Federal e nos estados de Alagoas, Bahia e Goiás. Segundo a PF, um dos investigados é um perito federal que, junto de um ex-sócio, atuou para fraudar atestados médicos e perícias para si mesmos, familiares, sócios e outras pessoas próximas. Os mandados foram expedidos pela 10ª Vara Federal, em Brasília.

A Justiça também ordenou o bloqueio de até R$ 1,1 milhão das contas bancárias do perito. Determinou ainda a suspensão da função pública, sequestro de bens, proibição de sair do país, pagamento de fiança no valor de R$ 150 mil ou uso de monitoramento eletrônico.

Os pagamentos de todos os benefícios suspeitos foram bloqueados. A operação, que ganhou o nome de "Trickster", foi realizada em conjunto com a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista, do Ministério do Trabalho e Previdência.

Com informações da TV Globo*