Acusados de torturar e matar mulher em Maceió vão a júri popular

Caso aconteceu em fevereiro de 2019; o casal que está entre o grupo de réus teria feito os filhos menores assistirem o homicídio

Os quatro acusados de torturar e matar Joyce da Silva Alves vão a júri popular. Os acusados foram identificados como Clécio Gomes Barbosa, Elton Jhon Bento da Silva, Jullyana Karla Soares da Costa e Maria Mariá Araújo Epifânio. O julgamento que seria realizado pela 7ª Vara Criminal de Maceió e conduzido pelo juiz Filipe Munguba, nesta quinta-feira (27), no Fórum da Capital, foi adiado.

O crime ocorreu no dia 10 de fevereiro de 2019, na Zona Rural do Village Campestre II, nas proximidades do rio Bambu. Segundo a acusação, a vítima estava na casa de um adolescente, juntamente com alguns colegas e uma das acusadas, Maria Mariá, quando mencionou que pertencia a facção Comando Vermelho (CV).

As pessoas reunidas no local se irritaram com a vítima e tomaram seu celular, informando que a região era dominada pela facção Primeiro Comando da Capital (PCC). Um adolescente se dirigiu a casa do acusado Elton. Logo após, ele e a esposa, Jullyana, foram até o local.

O inquérito policial ainda relata que Clécio, um dos acusados, ordenou que os demais torturassem Joyce durante toda a madrugada para obter uma resposta. Após as múltiplas agressões, a vítima foi levada até um local, onde Elton e Clécio desferiram múltiplas pauladas em Joyce e cravaram uma estaca em sua cabeça.

Ainda segundo a investigação, o casal Elton e Jullyana fizeram seus dois filhos menores assistirem às agressões sofridas pela vítima na casa de um dos adolescentes, além de os levaram para o local em que a vítima foi morta, explicando que era assim que os integrantes da facção rival devem ser tratados.

O adiamento do julgamento foi informado pelo Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), após ser solicitado pelo promotor de Justiça, que teveproblemas de saúde.