Com reajuste salarial de 10%, trabalhadores da Educação de Maceió encerram greve

Greve dos professores teve início no dia 11 de julho e é considerada pela categoria como uma das mais longas da história da Educação de Maceió

Os trabalhadores da Educação de Maceió encerraram a greve, nesta quarta-feira (17), após assembleia com a categoria, que aceitou o reajuste salarial de 10%. A greve já durava mais de 30 dias.

A notícia foi divulgadas nas redes sociais do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal). No vídeo, a presidente do sindicato, Consuelo Correia, falou sobre a conquista da categoria.

"Acabamos de sair de uma assembleia, e foi referendado 10% que conquistamos com muita luta, com muita resistência, com muita garra. Parabéns a cada trabalhador e a cada trabalhadora da Educação. Um agradecimento também aos diretores e coordenadores de escolas, que se somaram a nós nessa tarefa grandioso de buscar a nossa valorização", disse.

A greve dos professores teve início no dia 11 de julho e é considerada pela categoria como uma das mais longas da história da Educação de Maceió. Inicialmente, proposta apresentada pelo Município era de, inicialmente, 4% e depois de 8%. Cerca de 90 escolas municipais estão sem aulas desde o início da mobilização.

Durante o período de paralisação, os servidores chegaram a manter a greve mesmo após a determinação da Prefeitura de Maceió, para que eles retornassem imediatamente ao trabalho, sob o risco de terem os dias de greve descontados do salário. No dia 19 do mês passado, a Justiça determinou que os professores das escolas municipais de Maceió encerrassem a greve. A pena - em caso de descumprimento da decisão - é de R$ 5 mil por dia.