Daniel Alves tem novo advogado, que defendeu Messi e Barcelona

Jogador foi transferido para o presídio Brians 2 e novos fatores vêm sendo averiguados pela Justiça

O lateral Daniel Alves contratou um novo advogado para defendê-lo. Depois de os familiares do brasileiro ficarem insatisfeitos com a primeira defensora, eles decidiram contratar os profissionais do escritório Martell Abogados.

Segundo o jornal La Vanguardia, a nova defesa, que é considerada uma das mais prestigiadas de Barcelona, prepara um pedido de recurso, que deve ser apresentado na Justiça em breve.

O fundador do escritório, Cristóbal Martell, também participará da defesa do atleta, ao lado da advogada Miraida Puente Wilson.

Considerado um dos mais conceituados advogados criminais, Martell liderou a defesa de Lionel Messi e do Barcelona durante o caso Neymar e da família Puyol. Além dos casos relacionados ao futebol, ele também atuou nas defesas de casos ligado à corrupção na Espanha.

Por buscar acordos extrajudiciais benéficos a seus clientes, Cristóbal Martell deve buscar a liberdade provisória de Daniel Alves, com uma séria de medidas cautelares, como a entrega do passaporte e de um depósito significativo como fiança.

Entenda o caso

Daniel Alves teve sua prisão decretada pela juíza Maria Concepción Canton Martín na última sexta-feira (20/1), após dar depoimento sobre o caso de agressão, que teria acontecido na madrugada do dia 30 de dezembro. A decisão foi tomada depois que o Ministério Público da Espanha pediu a prisão preventiva do jogador, sem direito a finança.

No mesmo dia, o Pumas, clube mexicano que o jogador estava defendendo, anunciou que o contrato havia sido rescindido por justa causa.

Em depoimento à Justiça, Daniel Alves apresentou três versões diferentes. Primeiro, ele afirmou que estava no banheiro quando a mulher entrou e que não houve qualquer contato entre eles. Depois, afirmou que não soube o que fazer quando houve contato. Por último, admitiu que teve relações sexuais com a jovem, mas que foi consensual.

Segundo a imprensa espanhola, as contradições do brasileiro foram determinantes para o pedido do Ministério Público e para a decisão da juíza. Agora, o atleta está retido no presídio Brians 2.