Werdum brinca: "Vou me aposentar justo agora, que estou ficando rico?"

Campeão dos pesados do UFC diz que revanche contra Velásquez não é justa e questiona justificativa da altitude que ex-campeão deu após derrota

A menos de dois meses da revanche contra Cain Velásquez no UFC 196, o campeão dos pesos-pesados do UFC, Fabricio Werdum, garantiu, em entrevista ao site "Sherdog", que não pensa em se aposentar, caso vença o americano pela segunda vez. O próprio Werdum já havia declarado dois anos atrás que o faria se o finalizasse, o que de fato aconteceu na primeira luta entre os dois, no UFC 188, no México.
- Vou me aposentar justo agora, que estou ficando rico? Nada disso! Quero fazer história. Quero ser considerado o melhor peso-pesado da história pelos fãs. Comecei vencendo Fedor Emelianenko, Rodrigo Minotauro, Mark Hunt e Cain Velásquez... A lista é longa. Sempre fui considerado o azarão, e agora entrei em uma fase da carreira em que não sou mais. No começo todos diziam que eu era só um lutador de jiu-jítsu, e acho que consegui mudar essa imagem evoluindo na minha trocação. É claro que ainda tenho muito a evoluir, mas como vejo minhas lutas hoje, percebo que consegui adicionar novos elementos ao meui jogo em pé. Por isso nem penso em me aposentar. Estou com 38 anos de idade, e meu corpo está em perfeita forma. Nunca tive lesões graves nem levei muitos golpes na cabeça. Ainda tenho muito pra viver no MMA.

Perguntado sobre o que achou da luta entre Junior Cigano e Alistair Overeem no UFC Orlando, dia 19 de dezembro, Werdum disse ter achado Cigano mais concentrado em uma disputa de cinturão do que na luta contra o holandês, o que pode ter levado o catarinense a subestimar o rival.
- Acho que Cigano estava tão focado em lutar pelo cinturão que acabou subestimando Alistair Overeem. O holandês teve uma estratégia perfeita usando a base de canhoto, e confundiu Cigano. Tenho certeza que ele vai aprender com seus erros, como eu aprendi, e voltará mais forte.
Werdum também não deixou de comentar a intenção de Conor McGregor de subir para o peso-leve e desafiar o campeão da categoria, o brasileiro Rafael dos Anjos.

- Na verdade, foi o McGregor que o desafiou. Acho que será uma luta excelente para o Rafael. Ele nocauteou o Donald Cerrone, que é um cara muito duro, em grande estilo. Depois do que mostrou nessa luta e contra o Anthony Pettis, acredito que o Rafael nocauteará McGregor rapidamente e acabará com a marra dele.

O campeão voltou a declarar que não acha justo que Cain Velásquez tenha ganho uma revanche imediata ao cinturão após ser finalizado na Cidade do México. O gaúcho aproveitou para criticar os que creditam à altitude da capital mexicana a razão da derrota do americano.

- Respeito muito Velásquez mas, pela forma como a luta aconteceu, ele não deveria ganhar uma revanche imediata. Se tivesse sido uma uma decisão dividida ou uma luta rápida, como foi o caso do Aldo, que foi um campeão dominante e ficou invicto por dez anos, a revanche faria sentido. Mas da forma como eu o dominei em pé e o finalizei, não acho que seja justa essa revanche. Muita gente falou da altitude. Não sabia que a altitude cortava e finalizava alguém. Mas não tem problema. Estou treinando duro para provar ao mundo que eu posso vencê-lo ao nível do mar.