Após parada cardíaca em campo, Christian Eriksen recebe alta de hospital em Copenhague

Meia da Dinamarca é liberado para voltar para casa após seis dias de internação por conta de mal súbito. Jogador passou por cirurgia para implante de cardiodesfibrilador interno

O meia Christian Eriksen recebeu alta do hospital onde estava internado, em Copenhague, há seis dias, desde que sofreu uma parada cardíaca em campo, no duelo entre Dinamarca e Finlândia, pela primeira rodada da fase de grupos da Eurocopa, no sábado passado. A seleção dinamarquesa anunciou nesta sexta que o jogador foi liberado para ir para casa, mas antes visitou seus companheiros.

- Obrigado pelo enorme número de cumprimentos. Foi incrível ver e sentir. A cirurgia correu bem, e eu estou bem dentro das circunstâncias. Foi realmente ótimo ver os rapazes de novo depois do jogo fantástico que fizeram na última noite. Não é preciso dizer que estarei torcendo por eles na segunda, contra a Rússia - disse Eriksen.

O meia deixou o Righospitalet, em Copenhague, menos de uma semana depois de ser levado para o local às pressas, após sofrer uma parada cardíaca aos 42 minutos do primeiro tempo do confronto contra a Finlândia. Eriksen caiu desacordado e recebeu atendimento médico ainda no gramado, quando foi cercado pelos companheiros de seleção, que, mesmo apreensivos, evitaram que o jogador ficasse exposto aos registros.

O jogador da Inter de Milão deixou o campo já acordado e, então, foi internado no hospital vizinho ao estádio para passar por exames. Lá, permaneceu sob observação até a última quinta, quando passou por uma cirurgia para o implante de um cardiodesfibrilador interno (CDI) no coração, que foi realizada com sucesso. Agora, ele seguirá se recuperando em casa, ainda sem previsões sobre a continuidade de sua carreira.

Nos dias seguintes ao drama, o médico da seleção dinamarquesa confirmou que o coração de Eriksen parou de forma abrupta e que o jogador "tinha partido" em pleno gramado do Estádio Parken. Porém, o rápido atendimento e as manobras de ressuscitação permitiram que o coroação do jogador voltasse a bater, e ele retomasse a consciência.

Mesmo após o grave incidente com seu camisa 10, a Dinamarca voltou a campo para a realização do segundo tempo do confronto contra a Finlândia, e acabou derrotada por 1 a 0. Na última quinta, o time voltou ao Estádio Parken para enfrentar a Bélgica, em um dia marcado por diversas homenagens a Eriksen. Os dinamarqueses saíram na frente, mas levaram a virada no segundo tempo.

O nome de Eriksen esteve presente com bastante força no estádio. Antes de a bola rolar, a Uefa colocou o número 10 e o nome do jogador na enorme camisa da Dinamarca do protocolo pré-jogo. A Bélgica entregou ao capitão Kjaer uma camisa da seleção com o número 10 e o nome de Christian enquadrada e assinada por todo o elenco. E, aos 10 minutos, veio a mais bela homenagem: todos os atletas pararam em campo para aplaudir Eriksen juntos.

Apesar das duas derrotas, a Dinamarca ainda tem chances de classificação. O time joga com a obrigação de vencer a Rússia na última rodada e torce para que a Bélgica vença a Finlândia. Neste caso, haveria um empate triplo entre dinamarqueses, russos e finlandeses - que faria o grupo ser decidido no saldo de gols. Se a Dinamarca vencer por ao menos dois gols de diferença, se classifica como segunda colocada do grupo B.