Gramado do Marizão, palco da estreia do CSA no Nordestão, está em péssimas condições

Imagens recebidas pela Gazetaweb mostram muitos buracos e partes sem grama no estádio

Com pouco tempo de preparação e após somente três dias do primeiro jogo da temporada, o CSA volta a entrar em campo na noite de domingo (23), quando enfrenta o Sousa-PB pela primeira rodada da Copa do Nordeste. Além de a equipe não estar no auge físico e a longa viagem para Sousa, o Azulão terá um outro adversário: o gramado.

Imagens recebidas pela Gazetaweb mostram a condição deplorável do gramado do Estádio Marizão. Com muitos buracos, o campo apresenta várias falhas sem grama, somente em terra batida. Apesar do estado do campo, o CSA foi proibido pelo Sousa de treinar no Marizão, tampouco foi autorizado um reconhecimento do campo de jogo.

Durante a semana, o CSA tentou mudar o palco da partida. Segundo Ítalo Rodrigues, executivo de futebol do clube, um ofício foi enviado, no último dia 6, à Liga do Nordeste e à CBF para a mudança de palco de jogo para o estádio Amigão, em Campina Grande-PB. Além do estado do campo, o estado dos vestiários, espaços físicos para a diretoria, comissão e torcida visitante também foram elencados, além do deslocamento de Maceió à Sousa, que teve que ser feito de ônibus, uma viagem de 10 horas.

Ofício enviado à Liga do Nordeste e à CBF pedindo a mudança de local do jogo - Foto: Divulgação

Como é o visitante do jogo, a diretoria do Azulão tentou um acordo com todas as partes para a mudança do palco, mas foi negado pelos envolvidos. O executivo de futebol do CSA, Ítalo Rodrigues falou sobre a situação do campo, dizendo ser “impossível” ter um trabalho nessas condições.

“A gente tenta fazer o futebol da forma mais profissional possível. Com critério, planejamento. Então, quando a gente se depara com uma condição de trabalho como essa. A gente respeita demais o estado, a cidade. Mas é impossível ter um trabalho nessas condições”, reclamou o dirigente.

Ítalo lembrou o caso de Clayton, que se lesionou no último jogo no Rei Pelé. Segundo ele, se em Maceió, com um campo bom, isso aconteceu, algo pior pode acontecer nessas condições.

“A gente teve o Clayton que saiu machucado do jogo no Rei Pelé, que tem um campo bom, e pode ter acarretado uma lesão séria. Imagina num campo desse, totalmente instável, cheio de buraco. E a responsabilidade vai ser de quem se um atleta nosso se machuca? A responsabilidade do clube é cumprir os compromissos. E a responsabilidade dos órgãos que organizam a competição? A gente mandou ofício, solicitou vistoria. Nada disso precisava estar acontecendo. Mas parece que passa ano e as coisas não evoluem no futebol brasileiro, tudo acaba sendo política”, completou.

O Azulão enfrenta o Sousa-PB neste domingo (23) às 18h. Será a segunda partida da equipe na temporada 2022. Na última quinta (20), o time venceu por 3 a 1 o Desportivo Aliança na estreia do Alagoano.