Ele está de volta: Federação Alagoana de Futebol confirma participantes do Alagoano Feminino

Campeonato não era disputado desde 2019 por conta da pandemia de Covid-19

Finalmente o Campeonato Alagoano Feminino está de volta ao calendário futebolístico alagoano. Anunciado pela Federação Alagoana de Futebol (FAF), a competição terá a participação de sete clubes, inclusive da UDA, que recentemente conseguiu sua melhor campanha na história do Brasileirão Feminino A-2. O Estadual dará uma vaga em competição nacional para mais um clube alagoano.

Sete clubes participarão da competição, que terá moldes muito parecidos com a Segunda Divisão do Alagoano 2021. As equipes que confirmaram participação são: Acauã, Atlético Alagoano, CRB, Dínamo, Desportivo Aliança, Guerreiras e UDA, melhor alagoano ranqueado.

Todas as equipes se enfrentarão entre si, apenas em um turno. Os quatro primeiros avançam para as semifinais e consequentemente, os dois primeiros para a final. O time com melhor colocação, sem ser a UDA, deve garantir vaga no Brasileirão Feminino A-3 de 2022, que terá sua primeira edição e um alagoano na disputa.

Em 2020 a competição não aconteceu por conta da pandemia da Covid-19, por isso, sendo campeã em 2019, a UDA foi quem se classificou para o Brasileirão nesta temporada. A maior perda no torneio de 2021 é do CSA, vice-campeão alagoano em 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019.

A previsão de início do campeonato é para agosto, porém, sem uma data ainda certa. No histórico, temos 11 campeonatos femininos já realizados. A maior campeã é a UDA, com oito títulos. CESMAC é bicampeão, além do ECA ter um título.

Times campeões do Alagoano Feminino:

  • UDA - 8 títulos (2010, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019)
  • CESMAC - 2 títulos (2011, 2012)
  • ECA - 1 título (2009)