CSA perde para o CSE e termina 1ª fase do Alagoano na vice-liderança: 2 a 0

Jogando em Palmeira dos Índios, Azulão não se deu bem, mas já estava classificado para as semifinais, onde vai enfrentar o Tricolor novamente

Ainda sem o técnico Bruno Pivetti, que cumpre isolamento por conta da Covid-19, e jogando um futebol muito abaixo das expectativas, o CSA perdeu para o CSE, por 2 a 0, no Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios, na noite dessa quarta-feira (5). Os gols do Tricolor foram de Luizinho e Stuart, cada um em um tempo.

Com essa derrota, o Azulão perdeu a invencibilidade no Alagoano, mas já estava classificado, e agora é o vice-líder, com 15 pontos; enquanto o CSE, com essa vitória, garantiu vaga nas semifinais do Estadual, na terceira posição, também com 15 pontos, mas perde no saldo de gols para o Azulão (12 a 6). Veja o Tempo Real

Desta forma, na semifinal, azulinos e tricolores irão se enfrentar novamente. Os jogos terão datas e horários definidos pela Federação Alagoana de Futebol (FAF), nesta quinta-feira (6).

1º tempo

CSA jogou mal, muito aquém das expectativas de sua torcida - Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

O jogo começou com o CSE bem posicionado, sem deixar o CSA subir para o ataque. Quando o Azulão tentou com Tito, que quis chegar à linha de fundo, Jackson interceptou bem e saiu jogando pelo Tricolor. Aos 4 minutos, o CSA trocava passes no campo de defesa. Aos 6min, o CSE assustou. Na primeira investida, Stuart recebeu na linha de fundo, cruzou na pequena área, a bola passou por todo mundo e levou perigo para o goleiro Darley.

O Azulão respondeu com perigo aos 9min. Bruno Mota enfiou uma linda bola para Silvinho, que chutou cruzado para boa defesa de Alexandre. Na sobra, Bruno Mota chutou da entrada da área, mas direto para fora. O jogo chegava aos 15 minutos e o CSA tinha dificuldade em segurar a posse de bola e armar seus ataques.

Aos 21min, o CSE assustou. Após rápida troca de passes, Dakson acionou Allan na grande área, que bateu de primeira, mas isolou a bola. Aos 26min o Azulão quase abriu o placar. Patrick Brey cruzou na área do CSE, Dellatorre cabeceou forte, obrigando Alexandre a voar no canto esquerdo, dar um tapinha na bola e vê-la acertar a trave. Quem não faz, leva. E quem levou foi o Azulão. Aos 33min, Luizinho recebeu linda bola de Emerson, nas costas da defesa azulina, bateu cruzado e a bola morreu no fundo da rede: 1 a 0 para o CSE.

O duelo chegava aos 40 minutos e, após sofrer o gol, o CSA passou a se lançar ao ataque em busca do empate, mas o time estava muito mal. E o Tricolorido, todo fechadinho, não dava espaços para o Azulão e explorava os contra-ataques. O árbitro decretou 3 minutos de acréscimos à etapa inicial, que foi encerrada aos 48 minutos.

2º tempo

CSE foi superior ao Azulão e saiu de campo com a vitória - Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

No 2º tempo, o CSA até fez o gol de empate, aos 6min, mas não valeu. Após boa trama no ataque, Dellatorre recebeu de Bruno Mota e mandou para o gol, mas o assistente Benílson dos Santos marcou impedimento. De novo, como quem não faz, leva, o Azulão levou o segundo gol. Aos 10min, Allan foi lançado na direita, invadiu a área e bateu. O goleiro Darley deu o rebote no chute e Stuart guardou: 2 a 0.

Depois que sofreu o segundo gol, o Azulão saiu ao ataque e o Tricolor se fechou. Aos 19min, o CSA chegou com Marco Túlio, que recebeu lançamento e tentou, de primeira, encobrir o goleiro, mas a bola foi muito perto da trave. Aos 27min, o CSE quase fez o terceiro. Após a zaga do CSA bater cabeça, Stuart adiantou a bola e, na hora de chutar, Darley segurou a redonda.

Passando dos 30 minutos, o time azulino ia trocando passes na defesa, à espera de buracos na defesa tricolor. Aos 40min, Tito tabelou com Bruno Mota, levantou na área do CSE, mas Alexandre segurou sem afobação. O jogo chegava ao final, Azulão tinha a posse de bola, mas não conseguia armar suas jogadas e abusava das bolas aéreas.

O árbitro determinou seis minutos de acréscimos para a etapa final, que foi encerrada aos 51 minutos, com a vitória tricolorida, por 2 a 0.

CSE - Alexandre; Renato (Gabriel Camilo), Eduardo Bahia, Jan Pieter e Jackson; Jair Amaral, Emerson, Dakson (Cleiton) e Stuart (Ailton); Alan (Pará) e Luizinho. Técnico: Jaelson Marcelino.

CSA - Darley; Tito, Lucão, Wellington e Patrick Brey; Geovane, Aylon (Iury) e Bruno Mota; Silvinho (Ítalo), Marco Túlio (Nadson) e Dellatorre. Técnico: Adriano Rodrigues (interino).

Árbitro: José Ricardo Laranjeira.

Auxiliares: Ruan Luiz de Barros Silva e Benilson dos Santos Silva