Copa do Brasil: finalistas receberão cota de participação de até R$ 56 milhões

CRB, CSA e Murici representarão Alagoas na competição mais democrática e lucrativa do futebol brasileiro

Há alguns anos, a Copa do Brasil vem se tornando a prioridade da maior parte dos clubes no futebol brasileiro. Além de ser o caminho mais curto para a conquista de um título nacional e, por consequência, garantir uma vaga na Copa Libertadores da América, a ideia de vencer a Copa do Brasil também tem um objetivo financeiro. Desde 2017, a competição é, de longe, a mais rentável aos clubes principalmente, por sua premiação.

Representantes alagoanos

Os três representantes do futebol alagoano, CRB, CSA e Murici, terão o repasse de R$ 560 mil para jogar a primeira fase.

Caso avancem à etapa seguinte, a cota de participação subirá para R$ 675 mil. Se passarem à terceira fase irão receber a quantia de R$ 1.700.000,00. Os valores ultrapassam a casa de milhões à medida que o clube vai se classificando, avançando de fase. os finalistas receberão R$ 23 milhões e R$ 56 milhões, respectivamente o vice e o campeão da competição.

  • As duas primeiras fases da competição têm duelo em jogo único;
  • Na primeira fase, o empate classifica o visitante;
  • Na segunda fase, em caso de empate, o jogo vai para os pênaltis;
  • Na terceira e quarta fase começam os jogos de ida e volta.

Doze clubes entram depois

Os clubes que antes entravam direto nas oitavas de final da disputa, agora começam na terceira fase. É o caso dos oito classificados para a Libertadores, do nono colocado do Brasileirão, além dos campeões da Série B, da Copa do Nordeste e Copa Verde. São eles: Atlético-MG, Internacional, Flamengo, Palmeiras, São Paulo, Fluminense, Grêmio, Santos (Libertadores), Chapecoense (Série B), Ceará (Copa do Nordeste), Brasiliense (Copa Verde) e Athletico (9º no Brasileirão).

Vale ressaltar que, esses clubes farão jus à cota correspondente à fase em questão.