Com rebaixamento decretado, CSA conhece seus adversários na Série C de 2023

Após seis anos, Azulão volta para a Série C, onde encontrará clubes emergentes e velhos conhecidos

Na noite desse domingo (6), o CSA foi rebaixado para a Série C do Campeonato Brasileiro. A queda veio após a derrota para o Cruzeiro, por 3 a 2, somada à vitória do Novorizontino, por 3 a 0, contra o Operário. Com isso, os azulinos terminaram a Série B em 17º lugar, com 42 pontos. Será a primeira vez que o Azulão jogará no terceiro nível do futebol brasileiro desde o acesso, em 2017.

Agora, o pensamento para o ano que vem é voltar para a Segundona. A parte boa é que alguns times que disputarão a Série C do próximo ano já são velhos conhecidos dos azulinos. Porém, também têm aqueles times jovens, emergentes, que buscam um lugarzinho no alto escalão do futebol brasileiro.

Além dos quatro rebaixados, CSA, Brusque, Operário e Náutico, a Série C conta com equipes super tradicionais, que já enfrentaram o Azulão em diversas oportunidades. Casos de Figueirense, Confiança, Remo e Paysandu. Inclusive, todos esses clubes estavam na disputa da Série B, recentemente. Outro time que o time marujo conhece bem é o Volta Redonda. Em 2016, as equipes fizeram a grande final da Série D, mas o troféu ficou com os cariocas.

CSA reencontrará o Remo na Série C da próxima temporada - Foto: Ailton Cruz

Por outro lado, há times que ainda não são tão conhecidos no cenário nacional, mas, estão emergindo. Aparecidense, Amazonas, Pouso Alegre, Floresta e Ypiranga de Erechim são alguns desses esses exemplos. Inclusive, Pouso e Amazonas subiram da Série D nesta temporada, ao lado de São Bernardo e América de Natal.

De forma majoritária, a Série C do ano que vem contará com sete clubes nordestinos. Ou seja, quase metade da competição. Os nordestinos são: Altos, Floresta, Confiança, Botafogo da Paraíba, América de Natal, Náutico e CSA. A segunda região com mais clubes é o Sul, com cinco: São José, Ypiranga de Erechim, Figueirense, Operário e Brusque.

O Norte vem logo na sequência, com quatro: Manaus, Remo, Paysandu e Amazonas. Já o Sudeste terá três equipes, sendo elas: Volta Redonda, São Bernardo e Pouso Alegre, enquanto o Centro-Oeste segue com apenas um time, a Aparecidense, de Goiás.

Novidade em 2023, Pouso Alegre chegou na Série C após eliminar o ASA, no jogo do acesso - Foto: Ailton Cruz

Na Série C, são 20 clubes, de 16 estados diferentes. E a fórmula mudou de 2017 para cá. Não há mais a divisão dos grupos regionalizados. Desde essa temporada, a Série C funciona no formato de pontos corridos. Na primeira fase, os 20 times se enfrentam em turno único, com 19 rodadas no total. As equipes melhores posicionadas no Ranking da CBF fazem dez jogos como mandante, enquanto os piores fazem apenas nove.

O formato de disputa é simples. Enquanto os quatro últimos são rebaixados para a Série D, os oito primeiros avançam para a segunda fase. A segunda fase também é realizada em pontos corridos, porém, os clubes são divididos em dois grupos de quatro times. No Grupo B ficarão o 1º, 4º, 5º e 8º da primeira fase, enquanto o Grupo C estarão o 2º, 3º, 6º e 7º.

Nesta fase, são seis jogos entre os clubes do mesmo grupo. Sobem para Série B os dois primeiros de cada grupo, enquanto os líderes farão a grande final da Série C. Todavia, ainda existe um movimento nos bastidores para que a Terceirona seja novamente reformulada, seguindo os padrões das Séries A e B, onde todos enfrentam todos em turno e returno.