Eleitores são presos em flagrante após filmar urna eletrônica em Campo Grande

Servidores da Justiça Eleitoral deram voz de prisão aos acusados, que, em seguida, foram conduzidos à base da PF montada no município

Poucas horas após o início das eleições no município de Campo Grande, neste domingo (12), duas prisões foram registradas em seções eleitorais. A informação foi confirmada à Gazetaweb pela assessoria do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL).

A primeira prisão em flagrante ocorreu na Escola Douglas Apratto, na Seção 122, por um dos servidores da Justiça Eleitoral, que, ao avistar o eleitor filmando a urna eletrônica, deu voz de prisão.

Por sua vez, a segunda ocorrência foi registrada na Escola Enaldo Higino, Seção 148, onde uma eleitora também estava filmando a urna eletrônica.

Após os flagrantes, os eleitores foram encaminhados por uma guarnição da Polícia Militar (PM) à base da Polícia Federal (PF) montada no município, onde foram lavrados Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs).

O PLEITO

Eleitores do município de Campo Grande, no Agreste de Alagoas, voltam às urnas para escolher um novo prefeito. O pleito ocorre menos de um ano após as eleições municipais, e três candidatos disputam a preferência local: Cícero Pinheiro (MDB), Maria Inês (Democratas) e Téo Higino (Republicanos).

A eleição suplementar foi determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral, após o plenário da Corte indeferir o registro de candidatura de Arnaldo Higino (PP), ex-prefeito do município, condenado por improbidade administrativa. Ele havia sido reeleito no pleito padrão, com 51,40% dos votos, e derrotou o candidato Cícero Pinheiro, que obteve 48,11% dos votos.

A disputa fora de época movimentou a cidade nos últimos meses e na última semana. Fatos recentes, como a prisão de José Rozendo, candidato a vice-prefeito na chapa com Téo Higino (Republicanos), deixou os ânimos ainda mais instáveis no município.

Para garantir que o pleito ocorresse dentro da normalidade, a Polícia Militar (PM) divulgou que reforçou o efetivo policial na cidade, e 45 policiais atuam durante a eleição, que conta, também, com o reforço de uma aeronave da Secretaria da Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL) e viaturas extras.

O pleito também conta com 47 servidores da Polícia Civil de Alagoas (PC/AL), dentre eles, oficiais do Tático Integrado de Grupos de Resgate Especial (Tigre), Polícia Judiciária e Asfixia. Eles atuam na prevenção e combate a crimes, como boca de urna, aglomerações e compra de votos.

Além disso, o TRE disponibiliza o número (82) 99844-0408 para que a população denuncie a disseminação de fake news. As denúncias podem ser feitas das 8h às 22h, pelo WhatsApp e por meio de ligação. O anonimato é garantido pelo órgão.