Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > ECONOMIA

Câmara dos Deputados aprova reajuste salarial de servidores públicos

Carreiras de segurança pública serão beneficiadas com reajustes diferenciados e aumentos. Texto segue para o Senado


				
					Câmara dos Deputados aprova reajuste salarial de servidores públicos
Delegado Marcelo Freitas. Najara Araujo/Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei nº 1.213/24, do Poder Executivo, que reajusta os salários de várias categorias. As negociações coordenadas pelo Ministério de Gestão resultaram em aumentos diferenciados, beneficiando especialmente as carreiras de segurança pública, como a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Penal. O texto agora segue para o Senado.

O reajuste salarial prevê os reajustes de 2024 a 2026, segundo o substitutivo do deputado Delegado Marcelo Freitas (União-MG).

Leia também

Os policiais penais terão as maiores altas salariais, chegando a 77,15% no fim de carreira, o equivalente a R$ 20 mil, em 2026, e passarão a receber na forma de subsídio, sem acréscimos à remuneração por decisão administrativa ou judicial.

A PRF terá reajuste de 27,48% no fim de carreira, sendo R$ 23 mil, em 2026. Já a carreira de delegado da PF terá aumento de 27,48%, o que equivale a R$ 41 mil, em 2026.

“Para racionalizar nosso trabalho, adotamos duas sólidas diretrizes: o respeito aos acordos firmados entre categorias e Executivo, pela Mesa Nacional de Negociação Permanente, e observância estrita dos limites orçamentários impostos pelo Arcabouço Fiscal”, explicou o deputado Marcelo Freitas.

Reajuste salarial

O projeto original abordava exclusivamente as carreiras da Agência Nacional de Mineração (ANM), da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), de Tecnologia da Informação e de analistas de política social.

Para o cargo de especialista em recursos minerais, de nível superior, o salário máximo, em 2023, era de R$ 18.715,75. Agora, prevê aumento para R$ 20.401,35, em 2024, e alcança R$ 22.929,74, em 2026, quando a remuneração é convertida em subsídio.

Enquanto carreiras de especialista e de outro nível superior na Funai, passam a receber R$ 13 mil, em 2024; R$15 mil, em 2025; e R$ 17 mil, em 2026.

Freitas incluiu, também, o dispositivo que permite os servidores de todas as agências reguladoras exercerem outra atividade profissional, se não surgir conflito de interesses, além de incluir médicos e médicos veterinários do quadro de pessoal da Funai.

Já a carreira de analista em tecnologia da informação, o salário será de R$ 18 mil, a partir de 2024, e de R$ 21 mil, a partir de 2026. O PL prevê, também, a restruturação do cargo de analista técnico de políticas sociais.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas