Polícia prende 11 em ação contra delivery de drogas no Rio; bando vendia por WhatsApp e até aceitava criptomoedas

Homem apontado como chefe da quadrilha, Alluan Araújo, o Alfafa, foi preso em Laranjeiras. Segundo as investigações, ele mantinha a conta comercial Alfafa Batutinha Best Quality Drugs no aplicativo

A Polícia Civil do RJ e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) prenderam nesta sexta-feira (17) 11 pessoas na Operação Batutinhas, contra traficantes que criaram um serviço de entrega de drogas em áreas nobres da Zona Sul e da Barra da Tijuca.

O homem apontado como chefe da quadrilha, Alluan Araújo, o Alfafa, foi preso em Laranjeiras.

Segundo as investigações, a quadrilha atendia por WhatsApp e aceitava pagamentos em criptomoedas para tentar driblar os órgãos de controle.

Agentes saíram para cumprir 18 mandados de prisão e 31 de busca e apreensão no total. Os alvos da operação já foram denunciados e viraram réus por associação ao tráfico de drogas.

Menu no WhatsApp

A polícia afirma que Alfafa tinha até uma conta comercial no WhatsApp — a Alfafa Batutinha Best Quality Drugs — e oferecia um cardápio variado de entorpecentes.

“Essa organização criminosa criou um domínio em bairros nobres da cidade”, afirmou o delegado Gustavo Rodrigues. “Eles contavam com ex-agentes policiais, que tinham sido expulsos, e portavam fuzis. O bando disputava a venda de drogas até com sequestro de rivais”, emendou.

A investigação foi conduzida pela Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), e pelo Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ).

A denúncia foi recebida pela 19ª Vara Criminal da Capital, responsável pela expedição dos mandados.