O que mudou no WhatsApp em 2021: áudios acelerados, pagamentos, nova política e mais

Aplicativo também lançou recursos de visualização única de fotos e mensagens que podem ser arquivadas 'para sempre'. Relembre as principais mudanças no mensageiro nos últimos meses

O ano do WhatsApp foi marcado pela chegada de recursos que ajudaram usuários a economizarem tempo e dinheiro. Entre outras novidades, o aplicativo lançou opções para acelerar a reprodução de mensagens de áudio e fazer transferências bancárias sem tarifas.

O aplicativo também se envolveu em uma polêmica por conta de sua nova política de privacidade, que aumentou o compartilhamento de dados dos usuários com o Facebook e ajudou seus concorrentes a ganharem mais usuários.

Em outubro, o aplicativo registrou uma pane global e ficou fora do ar durante seis horas junto com o Facebook e o Instagram, outros serviços controlados pela Meta. A situação afetou muitos usuários, incluindo pequenos empresários que usam o mensageiro para atender seus clientes.

Relembre as principais mudanças no WhatsApp em 2021:

Política de privacidade

A nova política de privacidade do WhatsApp causou repercussão negativa. O aplicativo anunciou em janeiro que atualizaria seus termos para compartilhar com o Facebook dados gerados em interações de usuários com contas comerciais.

O objetivo é usar as informações coletadas no WhatsApp para direcionar anúncios no Facebook e no Instagram. Os dados obtidos nas conversas também podem ser armazenados, gerenciados e processados por parceiros do Facebook.

No Brasil, o aplicativo chegou a um acordo com autoridades, que conseguiram adiar a nova política de privacidade. Os concorrentes Telegram e o Signal informaram ter registrado crescimento no número de usuários após o anúncio dos novos termos do WhatsApp.

Mensagens de áudio aceleradas

Para quem deseja economizar tempo ao ouvir um áudio, o WhatsApp liberou um recurso para acelerar a reprodução da mensagem. Além da velocidade normal, é possível ouvir a gravação nas velocidades 1,5x ou 2x.

A solução ajudou usuários que recebem longas mensagens de áudio e aproximou o aplicativo de seu principal concorrente. O Telegram conta desde 2018 com uma opção de ouvir áudios na velocidade 2x no Android, iPhone e desktop.

Fotos e vídeos de visualização única

O WhatsApp também ganhou uma opção de enviar fotos e vídeos que podem ser visualizados apenas uma vez. Com ela, usuários podem garantir que seus contatos tenham somente um acesso a certas imagens.

Para enviar um arquivo de visualização única, é preciso selecioná-lo na galeria ou usar a câmera do aplicativo e, em seguida, tocar no ícone de número "1" antes de enviá-lo. Segundo o app, o recurso oferece mais privacidade para quem deseja compartilhar um conteúdo sem deixá-lo acessível para sempre.

Na mesma linha, o WhatsApp expandiu o recurso de mensagens temporárias que havia sido liberado em 2020. Até então, era possível configurar em cada conversa uma opção para que os conteúdos enviados desaparecessem depois de um tempo.

Com a mudança, o serviço passou a permitir que as mensagens desapareçam automaticamente em todos os novos chats. Veja como ativar as mensagens temporárias por padrão:

  1. Abra a tela de configurações do WhatsApp;
  2. Selecione "Conta";
  3. Clique em "Privacidade";
  4. Escolha "Duração padrão" e selecione um período de duração (24 horas, 7 dias ou 90 dias).

Mensagens arquivadas 'para sempre'

Outra novidade do WhatsApp é a que liberou uma espécie de pasta para esconder algumas conversas e evitar que elas voltem a aparecer na tela principal. Em vez dos chats voltarem a ser destacados se alguém enviar uma nova mensagem, como acontecia antes, eles podem ser arquivados 'para sempre'.

Pagamentos

O recurso de transferências de dinheiro começou a ser liberado no WhatsApp em maio. Os envios podem ser feitos pelo ícone "R$" que aparece na página da conversa, mas devem seguir algumas regras:

  • É possível enviar até R$ 1.000 por transações;
  • O limite mensal é de R$ 5.000 para envios e R$ 5.000 para recebimentos;
  • Cada usuário pode receber, no máximo, 20 transferências por dia.

O aplicativo não cobra taxas pelas transferências, mas exige um PIN (senha) do Facebook Pay e o cadastro de um cartão pré-pago ou de débito de um dos bancos parceiros.

WhatsApp Web sem celular

O WhatsApp Web ganhou uma atualização que dispensa a necessidade de um celular para acessar as conversas. O smartphone é usado apenas no primeiro acesso e, depois, é possível enviar e receber as mensagens mesmo que ele esteja desconectado.

Com a nova versão, o WhatsApp Web pode ser acessado em até quatro computadores e funcionar de forma "independente" em cada um deles.

Editor de figurinhas

O aplicativo facilitou a criação de figurinhas por meio de uma ferramenta para as versões Web e Desktop. Para criar uma figurinha pelo WhatsApp, siga estes passos:

  1. Clique em "Anexar" (ícone do clipe de papel);
  2. Selecione "Figurinha" e escolha uma foto;
  3. Em seguida, é possível cortar ou girar a imagem, além de adicionar elementos como texto e emojis;
  4. Para concluir, clique no botão de "Enviar".

Migrar entre Android e iOS

O WhatsApp começou a liberar uma solução para os usuários migrarem o conteúdo de suas contas – mensagens, fotos, vídeos e áudios – do iPhone para Android. A opção foi liberada primeiro para envios do iOS para celulares da Samsung com Android 10 ou superior.

O caminho inverso, em que usuários podem migrar conversas do Android para o iOS, ainda não está disponível. O WhatsApp não revelou quando a atualização será liberada.

Chamadas em grupo

Para melhorar as chamadas em grupo, o WhatsApp liberou uma atualização que permite que usuários entrem nas ligações a qualquer momento.

Até então, todos precisavam atender à ligação para iniciarem juntos a chamada em grupo. Com a mudança, o aplicativo passou a exibir ao lado do nome do grupo uma opção para ingressar na chamada.

Proteção para backups

Além das mensagens, a criptografia de ponta a ponta foi adotada em backups feitos no aplicativo. Disponível no iOS e no Android, a solução oferece mais uma camada de privacidade aos usuários.

Além das etapas de envio, trânsito e recebimento, a criptografia também passou a ser aplicada para backups salvos no dispositivo e em serviços de armazenamento na nuvem, como Google Drive e iCloud.

Os usuários que ativarem a proteção receberão uma chave de criptografia com 64 dígitos. Para facilitar, o aplicativo permite criar uma senha pessoal de uma espécie de cofre que armazenará a chave de 64 dígitos.