Confira a lista de streamers e gamers que levantam bandeira do orgulho

Influenciadores como Kami, Olga, Samira Close, Transcurecer e outros são porta-vozes da diversidade nos games e esports

O Globo Esporte, listou oito streamers e jogadores brasileiros LGBTQIA+ em comemoração ao Dia do Orgulho, entre eles, Kami, Olga, Samira Close e Transcurecer.

O dia 28 de junho é também uma data da reflexão sobre representatividade dentro e fora dos games e dos esports.

A diversidade presente nas mais variadas posições traz um sentimento de representatividade em todo o universo gamer e estimula outros a se sentirem acolhidos. Confira a lista:

Maah Lopez

Maah Lopez é um dos maiores símbolos no que se refere a diversidade no mundo dos jogos eletrônicos. Contratada em 2019 para a equipe do Facebook Gaming, Maah foi a primeira streamer negra da plataforma. Hoje ela produz conteúdos sobre o Free Fire e é streamer na plataforma Booyah, além de desempenhar funções como comentarista, caster e analista na modalidade.

Briny de Laet (Queen B)

Raphaela "Briny" é uma das pessoas mais antigas do universo dos jogos eletrônicos a falar abertamente sobre a sexualidade com os seguidores. Ainda utilizando o nickname de "Queen B", Raphaela começou a ganhar grande projeção em suas transmissões jogando League of Legends por volta do ano de 2014. Ela segue produzindo conteúdo sobre o jogo e realiza transmissões em seu perfil oficial no Facebook Gaming, onde conta com 131 mil seguidores. Briny é uma mulher trans e hoje representa um símbolo do processo de aceitação de pessoas trans no mundo dos jogos eletrônicos.

Kami

Multicampeão no League of Legends, Gabriel "Kami" colecionou troféus dentro de Summoners Rift enquanto era jogador profissional da modalidade, defendendo a equipe da paiN Gaming. Após quase 10 anos no competitivo de LoL, o jogador anunciou aposentadoria e agora é streamer oficial da organização que defendeu por longo tempo.

Samira Close

Conhecida dentro e fora do cenário dos jogos eletrônicos, Samira Close é um dos nomes mais famosos na internet quando o assunto é diversidade nos games. Nascida no Ceará, estado do nordeste do Brasil, ela começou a ganhar mais projeção com lives ainda em 2015 e hoje joga diversos jogos, como Free Fire, GTA 5 RP e outros diversos títulos do universo game. Samira é drag queen e também se identifica como homem gay.

Bryanna Nasck

Tendo começado o seu canal há mais de 10 anos no Youtube, Bryanna Nasck hoje conta com 144 mil seguidores e produz lives sobre sexualidade, o processo de identidade como trans e também faz transmissões jogando League of Legends. Em seu canal do Facebook Gaming, Bryanna realiza lives jogando Wild Rift, LoL e GTA V que chegam a ter milhares de visualizações simultâneas.

Transcurer

Streamer da INTZ e organizadora da Copa Rebecca Heineman, primeiro campeonato trans no esports brasileiro, Sher "Transcurecer" coleciona feitos no objetivo de promover inclusão nos esports e nos jogos eletrônicos. Ela participa de vários projetos de organizações sociais voltados à diversidade, sendo embaixadora do Ceres Trans e secretária geral do Capacitrans.

Haruyuki

Parceiro da organização INTZ e streamer na Twitch, Haruyuki faz transmissões sobre jogos e o cotidiano da vida dele em Tóquio, no Japão. O influenciador geralmente produz lives indo às compras e trazendo relatos da sua rotina na capital japonesa, mas também faz transmissões jogando Roblox ou alguns outros jogos com seguidores. Haruyuki é homem cis bi.

Olga

Jogadora profissional de Counter Strike: Global Offensive (CS:GO) pela equipe feminina da Black Dragons, Olga é um dos nomes mais citados nos últimos anos quando o assunto é diversidade nos esports. Ela é a primeira jogadora trans da modalidade. Antes da transição, Olga já era profissional de CS:GO e ter feito todo o processo sendo pessoa pública foi um desafio a mais.