Vereadores se reúnem com professores de Maceió para debater projeto de gratificação

Cerca de 70 servidores participaram da reunião, na sede da Prefeitura de Maceió

O vereador Siderlane Mendonça, líder do governo JHC na Câmara de Vereadores de Maceió, reuniu-se com servidores da Educação da rede municipal de ensino. O encontro ocorreu nesta segunda-feira (6), na sede da Prefeitura de Maceió, onde estiveram presentes outros parlamentares e momento em que a categoria apresentou as demandas da classe. Na ocasião, foi debatido o aperfeiçoamento do projeto de lei que autoriza a gratificação dos profissionais da educação básica, com o saldo correspondente aos 25% constitucionais destinados à educação.

"Agora nós podemos construir uma ideia que beneficie a todos, com a análise técnica feita pelo Município e pelas comissões da Casa, para que a pauta seja destrancada e o projeto seja posto em votação, para aprovação", reforçou o parlamentar.

Cerca de 70 servidores participaram da reunião. Giselia Santos, líder do Movimento destacou a importância do encontro e dos resultados obtidos na discussão.

"Saio com a esperança de que realmente toda essa movimentação resulte na aprovação, na semana que vem, e que todos nós, profissionais da Educação, sejamos beneficiados pela gestão. Toda a classe estava reunida hoje. Entretanto, tinha de se ouvir as partes: executivo, legislativo e professores. Agora estamos confiantes de que esse dinheiro vai vir para o bolso do profissional da Educação. Sairemos alegres", comemorou.

O secretário municipal de educação, Elder Maia, participou do encontro junto com o secretário de governo, Ivan Carvalho. Ele explicou como o município vai agir para garantir o pagamento aos servidores.

"Temos um plano de execução dos valores, que vai ser administrado pela Secretaria Municipal de Educação. A gente vai absorver o mecanismo de divisão, encaminhar o projeto para a câmara, com pedido de urgência, consolidar o plano de execução para que vocês tenham uma noção realmente de valor. A questão do pagamento não é um problema, pois a Secretaria de Gestão gera uma folha suplementar. Nada vai mudar. Somente a correção do vício de iniciativa”, explicou.

Além do líder do governo na Câmara, também estiveram presentes mais oito vereadores.