Renan Filho silencia após denúncia de crime eleitoral na campanha de Alfredo

Governador preferiu se calar diante de ação contra seu apadrinhado

Até agora, o governador não se pronunciou - seja para defesa ou ataque - sobre a denúncia de crime eleitoral na campanha de Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB), seu padrinho político na disputa pela Prefeitura de Maceió. O silêncio de Renan Filho (MDB) contrasta até com a atitude do prefeito Rui Palmeira (sem partido), recém-aliado da equipe palaciana, que classificou a acusação como um ato desesperado de JHC (PSB).
Nas redes sociais, principal canal de propaganda do governador, nenhuma postagem foi feita pelo chefe do Executivo estadual, visando à repercussão deste político, diferente da atitude tomada há pouco mais de uma semana, quando Renan Filho gravou vídeos em que divulgava uma pesquisa eleitoral sem registro, cujos números colocavam seu apadrinhado na dianteira das intenções de voto. Por tal ato, ele foi condenado a retirar a publicação. Agora, diante de uma denúncia de crime eleitoral, o governador simplesmente silenciou.
Ainda na sexta-feira, o Ibope divulgou levantamento que apresenta empate técnico entre Gaspar e JHC. Como a margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos, não é possível afirmar qual dos dois estaria na frente.
A campanha de Alfredo Gaspar é alvo de denúncia na Justiça Eleitoral de Alagoas por distribuição de cestas básicas atribuídas à Semas em troca de votos. Vídeos, imagens e relatos de supostos beneficiários do crime eleitoral fazem parte da ação que foi protocolada na última sexta-feira (9), pelo também candidato a prefeito João Henrique Caldas, o JHC (PSB). A ação, que, agora, está nas mãos de juízes eleitorais, responsabiliza Alfredo por abuso de poder político e econômico. Ação está protocolada sob o número 0600092-59.2020.6.02.0002.

Com botons do candidato de Renan Filho e Rui presos ao corpo, cadeirantes que participaram de reunião com Alfredo Gaspar e Eduardo Canuto saíram do local com cestas básicas que seriam da SEMAS - Foto: FOTO: Reprodução

Por meio da Secretaria Municipal de Comunicação, Rui Palmeira afirmou que não tem motivos para perder a confiança em seu candidato. "O prefeito Rui Palmeira declara sua total confiança na integridade do candidato Alfredo Gaspar, acreditando que tal denúncia é um ato de desespero da oposição diante do resultado da Pesquisa Ibope que aponta Alfredo Gaspar em primeiro lugar", escreveu a Secom.
Na nota, o órgão acrescenta que a "Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) de Maceió não entrega e nunca entregou cestas básicas em troca de votos ou em qualquer situação de ilicitude. A denúncia feita contra a secretaria e o prefeito Rui Palmeira não passa de uma ilação com fins eleitoreiros". 

Associação onde houve a distribuição de cestas básicas tem adesivos de Alfredo Gaspar de Mendonça e Eduardo Canuto  - Foto: FOTO: Reprodução

O caso
De acordo com a denúncia apresentada, no dia 1º de outubro, o candidato de Renan Filho e de Rui Palmeira participou de uma suposta reunião política na Associação dos Cadeirantes de Maceió, no Benedito Bentes, parte alta da capital. O evento, segundo a ação, reuniu associados, lideranças políticas e outras pessoas para manifestar apoio à candidatura de Alfredo Gaspar e do ex-secretário de Governo de Maceió e candidato a vereador Eduardo Canuto. 
Nas imagens entregues à Justiça, segundo consta na ação, é possível observar que, após o evento, cadeirantes saíram da reunião carregando cestas básicas com 'botons' de Alfredo e, quando perguntados sobre quem forneceu, eles atribuem a distribuição à Secretaria Municipal de Assistência Social.
"Na ocasião, pode-se ver que, após evento político realizado pelo investigado Alfredo Gaspar (com discurso e distribuição de material de campanha), vários cadeirantes foram vistos saindo do local carregando cestas básicas. As imagens destacadas acima falam por si! É de uma clareza meridiana o fato inconteste de que houve distribuição de cestas básicas aos cadeirantes que participaram do evento em que o réu Alfredo Gaspar estava presente (discursando e distribuindo seu material de campanha), bastando, para tanto, uma comparação entre as suas postagens e os vídeos que se conseguiu gravar, bem como a observação que as pessoas envolvidas são exatamente as mesmas", diz um trecho da ação.
A denúncia entregue à Justiça detalha que os cadeirantes que saíram da reunião na associação receberam, além das cestas básicas, material político, inclusive adesivos com os números de Alfredo Gaspar e, também, de Eduardo Canuto. Na porta da associação, onde houve a suposta distribuição das cestas, há adesivos de Alfredo e Canuto fixados na parte superior do imóvel, reforçando que o grupo que lidera a entidade apoia os respectivos candidatos que são denunciados, prossegue ação. 
"Diante dos fatos narrados, afigura-se evidente o interesse eleitoreiro e a conduta ilegal praticada pelos envolvidos. Em outras palavras, pelos contornos fáticos aqui apresentados, resta cristalino o cometimento dos crimes típico de CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO e ABUSO DE PODER POLÍTICO E ECONÔMICO, tudo perpetrado com o auxílio dos atuais Prefeito e Secretário de Assistência Social (RUI PALMEIRA e LUIZ HENRIQUE), visando favorecer as candidaturas dos investigados ALFREDO GASPAR, TÁCIO MELO, MARCELO PALMEIRA e EDUARDO CANUTO", denuncia à Justiça Eleitoral outro trecho da petição. 
À Justiça, foi repassada a suspeita de que as cestas básicas teriam sido realocadas das ações direcionadas ao combate à Covid-19 para outros fins. Na petição, é ressaltado - inclusive com fotos - que a cesta básica que foi distribuída após a reunião de apoio aos nomes de Alfredo e Canuto muito se assemelha ao kit montado e que foi distribuído pela secretaria municipal, como é possível comparar com as fotos que foram divulgadas pela Prefeitura de Maceió no pico da pandemia.  

Cadeirantes flagrados com cestas básicas participaram de reunião com Alfredo Gaspar em Associação localizada no Benedito Bentes - Foto: FOTO: Reprodução

E o rosário de denúncias entregues à Justiça Eleitoral não param por aí. A ação revela, ainda, que cestas básicas que seriam da Secretaria Municipal de Assistência Social foram distribuídas no fundo de um lava-jato, localizado no bairro da Ponta da Terra e entregues porta a porta, em uma espécie de delivery, por um homem que tem fixados na sua porta adesivos do ex-secretário de Assistência Social e candidato a vereador de Maceió, Marcelo Palmeira. Ele comandou a pasta até abril, desincompatibilizando-se para o período eleitoral, mas indicando o seu sucessor na pasta. 
"Ainda no período pré-eleitoral, mais especificamente na tarde do dia 04.09.2020, flagrou-se uma intensa distribuição irregular de cestas básicas, ocorrida no interior de um lava-jato localizado na R. Lafaiete Pacheco, Ponta da Terra, Maceió/AL. Do que se viu, verificou-se que várias pessoas estavam saindo do referido local carregando cestas básicas, sem que fosse identificada, na oportunidade, a realização de qualquer tipo de ação social regular de governo. Além dos indivíduos que saíam do local apenas carregando suas cestas, havia outros que aguardavam 'carona' para o retorno para casa, a demonstrar que pessoas de longe foram trazidas ao 'lava-jato' para o recebimento das referidas benesses. É o que se pode extrair dos vídeos", relatam os advogados aos juízes na ação apresentada nesta sexta-feira. 
A denúncia detalha, ainda, que, em uma das provas, 'pode-se ver que uma das senhoras que recebeu cesta básica, ao ser questionada pelo interlocutor, identificou-se como PAULA e informou que era da Vila dos Pescadores, que, para pegar as cestas, tinha que 'dar o nome' e que deu o nome no local, que não era somente o pessoal da vila que recebia as cestas, mas quem tivesse o nome aí [na lista]'. A ação destaca que a mesma senhora aparece tanto nos vídeos apresentados quanto nas fotografias anexas, aguardando um veículo que, provavelmente, a levaria de volta para a Vila dos Pescadores, que fica localizado a cerca de 15 minutos do local onde estava sendo realizada a distribuição. 

Ação chama atenção da Justiça Eleitoral para a semelhança entre as cestas entregues pela Secretaria de Assistência Social e as que foram entregues em um Lava Jato localizado na Ponta da Terra - Foto: FOTO: Reprodução

Em continuidade, além da maciça distribuição local (no lava-jato) das cestas básicas em questão, o pedido aos magistrados ressalta que alguns veículos foram posteriormente abastecidos com inúmeras outras cestas para distribuição "porta a porta", o que foi amplamente registrado nas fotografias e vídeos que estão na ação. A petição foi além e revela que, conforme pode ser observado nas imagens, as pessoas que estão abastecendo os veículos com as cestas básicas são exatamente as mesmas que outrora estavam sentadas na bancada fazendo os registros (cadastro) dos beneficiários das cestas. Diante disso, a ação chama atenção também para um veículo, um Citroen C3 de cor preta. 
"Na sequência - e o que é mais interessante -, o mencionado veículo finalizou 'suas atividades' na Casa n° x localizada na Rua Dona Alzira Aguiar, Ponta da Terra. Curiosamente, na residência há três adesivos colados em manifesto apoio ao investigado Marcelo Palmeira, atual vice-prefeito e candidato a vereador pelo Município de Maceió, além de apoiador declarado do candidato a Prefeito Alfredo Gaspar", ressalta outro trecho da ação. Conforme as imagens, o veículo foi em diversas localidades e distribui cestas básicas. As imagens e as demais informações estão, agora, nas mãos da Justiça Eleitoral, que deve acionar os citados para depor.

Na residência do homem que distribuiu cestas básicas e fez entregas tem adesivos do ex-secretário de Assistência Social, Marcelo Palmeira - Foto: FOTO: Reprodução

O QUE DIZEM OS CITADOS NA MATÉRIA 
ALFREDO GASPAR DE MENDONÇA - "A assessoria jurídica do candidato Alfredo Gaspar desconhece a denúncia".
EDUARDO CANUTO - "Não há qualquer ação de campanha vinculada a esta ação. No dia 1º de outubro, o candidato Eduardo Canuto estava hospitalizado, lutando pela vida, e não havia qualquer integrante de sua equipe no episódio. Nas imagens que circularam na internet, o que há são dois adesivos em cadeiras de roda, apenas. O que não há qualquer problema. Este acusação é típica tentativa de destruir reputação, sem qualquer fundamento", disse ele por meio da assessoria de imprensa. 
ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES -  "A denúncia é infundada, não é verdadeira, uma calúnia. A gente recebeu as cestas através de recurso federal e, por meio de uma parceria com a Adefal, foi feita a distribuição para os nossos associados que estavam passando necessidade. Desde o dia 20 de agosto, bem antes do período eleitoral, a gente vem recebendo as cestas, e esta já foi a segunda remessa. Temos documento de quem pegou as cestas, tudo regularizado. A gente pegou nome, RG, CPF e contato; nem o título nós pegamos. Enviamos os dados para a Adefal e ela deu o destino certo para as pessoas. Portanto, estamos aqui, prontos para dar satisfação à Justiça e à imprensa, e, ao mesmo tempo, com medo de perder as cestas, porque muitas famílias estão sem alimento". 
SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE MACEIÓ - "A Secretaria Municipal de Assistência Social de Maceió não entrega e nunca entregou cestas básicas em troca de votos ou em qualquer situação de ilicitude. A denúncia feita contra esta secretaria e o prefeito Rui Palmeira não passa de uma ilação com fins eleitoreiros. Outrossim, o Prefeito Rui Palmeira declara sua total confiança na integridade do candidato Alfredo Gaspar, acreditando que tal denúncia é um ato de desespero da oposição diante do resultado da Pesquisa Ibope que aponta Alfredo Gaspar em primeiro lugar".
Os demais citados foram procurados, mas não se manifestaram até o momento.