Reitores de 41 instituições entregam a ministro carta contra impeachment

Na semana passada, Eduardo Cunha acolheu pedido de impeachment. Dilma também já recebeu carta com apoio de 16 governadores

A Secretaria de Governo informou que, ao se reunirem com o ministro Ricardo Berzoini, nesta quinta-feira (10), reitores de 41 instituições de ensino, entre universidades e institutos federais, entregaram a ele carta de apoio à presidente Dilma Rousseff e contra o processo de impeachment aberto na Câmara dos Deputados. Na avaliação deste grupo, há "golpe vergonhoso" no país.
Na semana passada, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) acolheu pedido de impeachment da petista movido pelos juristas Miguel Reale Júnior e Hélio Bicudo. O peemedebista negou motivação política e, em reação ao anúncio dele, a presidente Dilma afirmou em pronunciamento que não cometeu "atos ilícitos" e disse que vai usar todos os instrumentos democráticos para se defender.
"Com a responsabilidade que nos é outorgada pela sociedade, temos o dever de vir a público defender um ideário que responde aos anseios da população brasileira. Nossa bandeira é a da educação e a nossa luta é pelas pessoas, pela grandeza do país! Evocamos o apoio popular para estancar esse golpe vergonhoso, que fragiliza os poderes da República e macula a imagem do povo brasileiro e de sua nação", diz a carta dos reitores.
Além do apoio dos reitores, Dilma recebeu no início da semana carta de 16 governadores que são contra o impeachment da petista. Eles lançaram o "Movimento pela Legalidade" e afirmaram que o processo que tramita na Câmara "carece de fundamentação" jurídica.
Nesta quarta (9), ao discursar em uma conferência partidária na Alemanha, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também abordou o tema. Em um pronunciamento que durou cerca e 40 minutos, ele atacou Cunha por ter acolhido o pedido de impeachment por "vingança ao PT" e disse que há "tentativa de golpe explícito" no Brasil.