Ex-vereador de AL suspeito de fraudar compra de testes é convocado para depor na CPI da Pandemia

Requerimento de convocação, assinado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE), foi aprovado nesta quarta-feira (9); ele é investigado na operação Falso Negativo

A base aliada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na CPI da Covid-19, no Senado Federal, conseguiu aprovar a convocação do ex-secretário de Saúde do Distrito Federal, o alagoano Francisco Araújo Filho. O requerimento de convocação, assinado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE), foi aprovado nesta quarta-feira (9).

Preso acusado de fraudar licitações e investigado na operação Falso Negativo, que incluíam testes de Covid-19 sem eficácia e com preços superfaturados, ele foi colocado na lista de depoentes apresentada pelo senador Izalci Lucas (PSDB-DF). A data do depoimento ainda não foi definida.

Francisco é ex-vereador da cidade de Cajueiro, no interior de Alagoas, ex-secretário de Assistência Social, durante a gestão do ex-prefeito Cícero Almeida, e, no ano passado, voltou às manchetes, desta vez nacionais, acusado de provocar um prejuízo de R$ 46 milhões aos cofres públicos do Distrito Federal (DF).

Sua prisão provocou várias especulações nos meios políticos, já que ninguém sabia explicar como se deu sua ascensão política ao ponto de ocupar a pasta com o maior orçamento da gestão do governo de Brasília. Agora, com a convocação, ele sentará ao lado do conterrâneo, o senador Renan Calheiros, que irá inqueri-lo na condição de relator da CPI.

Mesmo sem data definida, o fato da convocação ter sido aprovada já indica que, neste momento, o foco das investigações serão os gestores da saúde, tanto dos estados como no Distrito Federal.

Veja as outras convocações aprovadas nesta quarta:

  1. Osmar Terra: deputado federal;
  2. Felipe Cruz Pedri: secretário de Comunicação Institucional do governo;
  3. José Alves Filho: empresário;
  4. Renato Spallicci: presidente da Apsen Farmacêutica;
  5. Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques: auditor do Tribunal de Contas da União (TCU);
  6. Francisco de Araújo Filho: ex-secretário de Saúde do Distrito Federal;
  7. Desenvolvedor (não nominado) do aplicativo TrateCov;
  8. Francieli Francinato: coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI).