Autoridades brasileiras lamentam a morte do ex-vice-presidente da República Marco Maciel

Político morreu aos 80 anos em decorrência de complicações pós-Covid-19, segundo o genro, Joel Braga

Autoridades brasileiras lamentaram neste sábado (12), a morte, aos 80 anos, do ex-vice-presidente da República Marco Maciel, ocorrida na madrugada de hoje, em Brasília. Em suas redes sociais, o senador e ex-presidente da República, Fernando Collor (PROS), manifestou seus sentimentos de pesar à família de Marco Maciel.

"Ele dedicou 45 anos de sua vida a Pernambuco e ao Brasil, como deputado federal, senador, governador e vice-presidente. Com dedicação, ele foi líder do meu governo no Senado Federal. Aproveito para solidarizar-me também com os amigos e o povo pernambucano", escreveu.

Já o ministro Humberto Martins, presidente do Superior Tribunal de Justiça e do Conselho da Justiça Federal, disse que recebeu com pesar a notícia da morte do ex-vice-presidente da República. "Advogado, professor e político, o pernambucano Marco Maciel também foi deputado, governador e senador, tendo exercido com zelo e eficiência todos os cargos, prestando relevantes serviços ao país. Deus conforte os seus familiares, ao tempo que apresento minhas condolências e solidariedade", disse.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) descreveu seu vice, em sua conta no Twitter, como um homem leal, competente e discreto. "Morreu hoje Marco Maciel. Exerceu a vice-presidência nas duas vezes em que fui Presidente. Se me pedirem uma palavra para caracteriza-lo diria: lealdade. Viajei muito, sem preocupações: Marco exercia com competência e discrição as funções que lhe correspondiam. Deixa saudades".

O ex-presidente Michel Temer (MDB-SP), também prestou condolências ao político pela rede social. "Quero lamentar a perda de um pacificador e cultor das instituições e do federalismo. Marco Maciel dignificou a classe política com seu espírito público, seu preparo intelectual e a boa prática administrativa. Meus sinceros sentimentos a sua esposa dona Ana Maria, filhos e familiares".

Em nome do Supremo Tribunal Federal, o presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça, Luiz Fux, afirmou em nota que “Marco Maciel deixou marcas na história do Brasil nas últimas décadas como jurista, parlamentar, governador e vice-presidente da República. O país perde um grande brasileiro, com elevado espírito republicano".

Marco Maciel morreu em decorrência de um quadro infeccioso respiratório, segundo boletim médico do Hospital DF Star, em Brasília, onde o político estava internado desde 30 de março com diagnóstico de Covid-19. Segundo Joel Braga, genro do político, Maciel morreu por complicações pós-Covid-19. Ele também sofria de Alzheimer desde 2014. Marco Maciel deixa mulher e três filhos.