Assembleia aprova Título de Cidadão Honorário ao presidente Jair Bolsonaro

Deputado Ronaldo Medeiros votou contra a matéria; já Cibele Moura se absteve da votação

O presidente da República será agraciado com o Título de Cidadão Honorário do Estado de Alagoas, concedido pela Assembleia Legislativa (ALE). A honraria foi aprovada durante a sessão ordinária do Parlamento, nesta quarta-feira (1º), sendo proposta pelo deputado estadual Cabo Bebeto (PTC). Jair Bolsonaro recebeu titulação semelhante da Câmara Municipal de Maceió.

Bebeto justificou, ao apresentar o projeto na Casa de Tavares Bastos, ainda no mês de maio deste ano, que o chefe da nação estava no terceiro ano do mandato e merecia o agraciamento por prestigiar o Estado em muitas ações, apesar das públicas divergências políticas do Executivo estadual com a União.

“Somente no período da pandemia que vem assolando todo o mundo, Alagoas recebeu, do Governo Federal, um total de 327 respiradores, sendo 190 de UTI [Unidade de Terapia Intensiva] e 137 de transporte, além de quase 700 milhões de reais somente para ações com Covid até abril de 2021, sem contar com a suspensão dos pagamentos da dívida pública com a União, o que alcança a esfera de 18,5 bilhões em investimentos em nosso estado para a luta contra o coronavírus”, alegou.

Ele ainda citou uma série de investimentos em infraestrutura foram feitos, a exemplo do viaduto da PRF, o entroncamento/duplicação em São Miguel dos Campos e duplicação entre Alagoas e Sergipe, inclusive com a ponte de Propriá. “Não poderia esquecer a entrega do Canal do Sertão, obra que passou por muitos governos sem que houvesse interesse em sua finalização, e que pode levar água à população mais carente de nosso Sertão”, destacou o parlamentar.

A proposta dele encontrou resistência na Casa. Neste período, foi necessário mudar a redação de uma lei que trata sobre a concessão dos Títulos de Cidadão Honorário em Alagoas. A regra impedia que pessoas no exercício de mandatos eletivos recebessem a honraria.

Esta mudança, inclusive, gerou dúvidas no plenário. Na primeira votação do projeto, os deputados Francisco Tenório (PMN), Jó Pereira (MDB) e Cibele Moura (PSDB) decidiram se abster. Na sessão extraordinária em que a matéria foi apreciada em segunda votação, apenas Cibele Moura manteve a abstenção.

O único que votou contrário foi o deputado Ronaldo Medeiros (MDB), ferrenho crítico da postura do presidente da República. “Não vejo nenhum motivo para a concessão do título. Este cidadão não tem serviço prestado, é omisso, manteve o Canal de Sertão parado, não incentiva vacinação, é responsável pela maioria das mortes por Covid no país e incita a violência”, criticou.