Após críticas à gestão de Maceió, Santoro é cobrado nas redes por processo que reponde no RJ por rombo milionário na previdência

Internauta reagiu às reclamações expondo este detalhe que já foi revelado pela imprensa local

Após utilizar mais uma vez a conta pessoal, no Twitter e no Instagram, para criticar a maneira como o prefeito JHC (PSB) está administrando a capital, o secretário de Estado da Fazenda, George Santoro, foi cobrado, também nas redes sociais, a dar explicações acerca do processo que responde, no Rio de Janeiro, por suspeita de ter causado rombo milionário na previdência.

Santoro foi denunciado pelo Ministério Público do Rio e virou réu no processo por prática de irregularidades na época em que foi subsecretário da Receita da Secretaria de Estado de Fazenda nas gestões dos ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão.

Além dele, estão na mesma condição Guillermo Gutierrez Hernández, Associação de Atacadistas Distribuidores do Estado do Rio de Janeiro (Aderj) e Zamboni Comercial Ltda - empresa representada pelo empresário Alencar César Martins Zamboni.

Os quatro são acusados pelo MP carioca de usufruto irregular de benefícios fiscais sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) desde 2008. George Santoro foi subsecretário da Receita entre 1º de agosto de 2013 e 1º de janeiro de 2015.

O secretário da Fazenda de Alagoas tem feito uma série de críticas à gestão municipal e marcado o prefeito JHC em suas postagens. Desta vez, ele publicou que considera ‘bizarrices’ o que a prefeitura tem feito, ao espalhar peças ‘instagramáveis’ pela cidade, visando fomentar o turismo.

“A vida de quem mora em Maceió tem piorado. Tudo é feito sem estudo, apenas pensando no click das redes sociais. Tenho recebido muitos comentários negativos da bagunça que virou a parte baixa de Maceió. Desordem urbana, falta de respeito ao patrimônio imaterial alagoano, poluição visual”, escreveu.

Um dos internautas provocou o secretário ao afirmar que ‘nunca tinha visto uma cadeira fazer tanta inveja’. Santoro respondeu à alfinetada reafirmando que a gestão da capital age de forma midiática e amadora.

O comentarista reagiu com links de matérias jornalísticas, inclusive da Gazetaweb, em que expõe a denúncia do calote milionário. “Vi o seu Lattes e faz vergonha”, destacou o internauta.

Santoro não respondeu à provocação e, na sequência, apagou os links das matérias.