Alagoas tem a maior taxa de geração de empregos em outubro

Estado criou 4.335 postos formais de trabalho, um aumento de 1,11% em relação ao mês anterior

Alagoas registrou o maior crescimento percentual do País na geração de empregos no mês de outubro, segundo levantamento do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nessa terça-feira (29), pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

De acordo com os dados, no mês passado o Estado abriu 4.335 postos formais de trabalho, um aumento de 1,11% em relação a setembro. Os números de outubro são a diferença entre as 15.368 mil admissões e as 11.033 demissões no período.

O aumento nas contratações no mês passado foi puxado pelo setor de serviços, que abriu 1.581 postos formais de trabalho. Em seguida aparecem a indústria, com abertura de 1.144 vagas, comércio (771), construção (583) e agropecuária (256).

Atualmente, segundo os dados do governo federal, o estoque de emprego em Alagoas é de 395.944 vagas. O setor de serviços lidera o ranking nessa categoria, com 180.639 empregos, seguido do comércio (94.387), indústria (82.700), construção (26.233) e agropecuária (11.985).

Em todo o país, foram criados 159.454 postos de trabalho em outubro, resultado de 1.789.462 admissões e de 1.630.008 desligamentos de empregos com carteira assinada. No acumulado deste ano, o saldo é de 2,32 milhões de novos trabalhadores no mercado formal.

Além de Alagoas, os estados com maior variação na criação de empregos em relação ao estoque do mês anterior foram Roraima, que criou 525 vagas (0,75%); e Amazonas, com saldo positivo de 3.463 postos (0,72%).

Os estados com menor variação relativa de empregos em outubro, em relação a setembro, são Mato Grosso, que criou 911 postos, aumento de 0,11%; Goiás, com saldo positivo de 1.010, alta de 0,07%; e Amapá, que encerrou o mês passado com menos 3.463 postos de trabalho formal, queda de 0,65%.