Toni Bandeira é solto pela Justiça após flagrante de embriaguez ao volante

Suspeito foi flagrado por uma guarnição do Bptran, em Rio Largo

Após ser preso em flagrante pelo crime de embriaguez ao volante na madrugada da última sexta-feira (15), o empresário Antônio Padua Bandeira Amorim, mais conhecido por Toni Bandeira, foi solto por decisão do Tribunal de Justiça (TJ/AL) na manhã deste domingo (17). 
Ele foi preso após ser flagrado pela Polícia Militar praticando uma manobra conhecida como  "cavalo de pau", em um posto de combustível localizado na cidade de Rio Largo. Toni Bandeira ficou conhecido da sociedade alagoana pelo suposto evolvimento na morte da universitária Giovanna Tenório. 
De acordo com a Polícia Militar, a guarnição do Batalhão de Trânsito (Bptran) estava realizando rondas em um posto de combustível quando teria sido surpreendida por uma manobra de "cavalo de pau". Em depoimento, os militares revelaram que diante da infração, o condutor  foi abordado e constatou-se sinais de embriaguez. Os militares encaminharam Toni para a Central de Flagrantes, no bairro do Pinheiro, em Maceió. 
Na central, o delegado plantonista da Polícia Civil, Everton Gonçalves de Souza, atuou Toni Bandeira por dirigir embrigado e estipulou fiança no valor de R$ 20 mil. O advogado que representa o suspeito, Thiago Pinheiro, ingressou com um pedido de relaxamento de prisão. No pedido, o advogado apontou que Toni Bandeira "não tem condições de pagar a fiança, bem como não há elementos para a prisão preventiva". No despacho, o juiz que concedeu a liberdade diminuiu o valor da fiança para cerca de R$ 5 mil. Ele vai responder a mais esse crime em liberdade.