Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > POLÍCIA

Racismo contra criança: síndico diz que imagem será cedida à PC

O administrador afirmou que só pode ceder o conteúdo com solicitação policial por causa da Lei de Proteção de Dados


				
					Racismo contra criança: síndico diz que imagem será cedida à PC
Boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Crimes contra a Criança e Adolescentes.. Ascom/PC

O síndico do condomínio onde um pai denunciou que o filho de 10 anos sofreu racismo disse, nesta quarta-feira (22), que vai ceder imagens do ocorrido à Polícia Civil, que já começou a investigar o caso.

O pai da criança, que tem 10 anos, denunciou que o filho sofreu injúria racial no dia 13 de maio, no condomínio onde moram, no conjunto Salvador Lyra, parte alta de Maceió.

Leia também

O analista ambiental Hildeberto Barbosa relatou que as responsáveis são duas mulheres, mãe e filha, que também residem no local. Ele registrou um Boletim de Ocorrência.

Na denúncia, o analista ambiental diz que tentou obter câmeras junto ao condomínio, mas não teve retorno.

O síndico Yuri Malta relatou que não podia ceder os conteúdos sem que eles houvessem sido solicitados pela polícia, o que ocorreu somente nesta quarta-feira, segundo ele.

"Me coloquei à disposição, orientando para ele fazer os registros. Qualquer informação que condomínio possa passar, só mediante determinação judicial, devido a lei de proteção de dados. [Ontem] não chegou intimação policial para mim. A polícia procurou somente hoje e prestei todos os esclarecimentos. Não cabia a mim mostrar as imagens por causa da lei de proteção de dados", explicou o síndico Yuri Malta.

De acordo com o pai da vítima, o filho estava brincando com outras crianças em uma área do condomínio, quando as duas mulheres se aproximaram, começaram a ameaçar as crianças e a falar insultos racistas, direcionados especialmente ao filho dele.

“Fui pego de surpresa com meu filho me informando que tinha passado por um constrangimento racial. Mediante a informação que ele relatou para mim, eu me dirigi até a portaria para colher mais informações, registrar no livro de ocorrência. Imediatamente solicitei um contato com o síndico para ver a possibilidade que ele tinha de nos ajudar a localizar essas pessoas que praticaram esse crime”, relatou o pai da criança.

Segundo Yuri Malta, as imagens serão cedidas à Polícia Civil e o condomínio irá colaborar com informações solicitadas na investigação.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas