Policial suspeito de atirar em funcionário da Prefeitura no trânsito vai responder por homicídio qualificado

Informação foi confirmada pelo delegado Ronilson Medeiros, coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, nesta segunda-feira (25)

Após a morte do motorista da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) Fábio Jhonata da Silva, de 26 anos, baleado em uma briga de trânsito, o policial militar reformado, preso em flagrante por efetuar os disparos, vai responder por homicídio qualificado por motivo fútil.

A informação foi confirmada pelo delegado Ronílson Mederios, coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, nesta segunda-feira (25).

A vítima veio a óbito, na última quinta-feira (21), depois de uma semana internada no Hospital geral do Estado (HGE). Fábio passou por procedimentos cirúrgicos no abdômen e tórax.

O velório do motorista precisou, inclusive, ser interrompido, após um erro no laudo médico do rapaz, que apontou morte clínica como a causa do óbito. Além disso, o Instituto Médico Legal (IML) não havia realizado a necrópsia.

Relembre o caso

O motorista foi baleado no tórax e no abdômen em um trecho da Rua Dias Cabral, no dia 14 de outubro. Um vídeo que circulou nas redes sociais mostrava o motorista sentado em uma calçada e sendo socorrido por populares.
Na ocasião, testemunhas relataram que a discussão começou quando o militar teria sido “fechado” pelo motorista, que prestava serviço para a Prefeitura de Maceió. Ao retornar para o automóvel, o agressor, então, efetuou dois disparos, atingindo-o na região das costas.

O motorista passou por procedimentos cirúrgicos no mesmo dia em que foi internado, na última quinta-feira (14), mas não resistiu e faleceu sete dias depois.