Polícia prende mais um suspeito e localiza joias e relógio de Carlinhos Maia enterrados em João Pessoa

Um relógio e uma corrente, avaliados em R$ 2 milhões, foram resgatados; homem confessou crime e polícia descartou participação de funcionários

Um homem foi preso em Campina Grande, na manhã deste sábado (13), após confessar ter participado da invasão e do furto ao apartamento dos influenciadores Carlinhos Maia e Lucas Guimarães no dia 30 de maio deste ano. Durante uma coletiva de imprensa na tarde de hoje, a Polícia Civil de Alagoas deu detalhes da investigação e da operação.

De acordo com os delegados, o suspeito apontou o local onde as joias e o relógio furtados estavam enterrados. O material foi recuperado e já se encontra em Alagoas. Os bens resgatados estão avaliados em cerca de R$ 2 milhões.

"O suspeito tomou conhecimento de que o círculo estava se fechando e resolveu colaborar. Munidos das informações e provas técnicas, conseguimos chegar até ele e aos objetos furtados", afirmou o delegado Lucimério Campos, que atua no caso.

Para ele, as investigações confirmam que se trata de um grupo criminoso especializado em ações desse tipo. "Quando um crime é cometido por especialistas, demanda uma engenharia reversa complexa", diz.

"Segundo a confissão dele, o dia chuvoso e a estrutura favoreciam a ação. Ele usou a vegetação próxima para se esconder e esconder uma escada utilizada no crime. Para entrar no apartamento, ele usou uma técnica para dar um curto-circuito na fechadura eletrônica da porta. Ele também estudou o comportamento do porteiro e as falhas de segurança", explica Lucimério.

Além das joias e duas bolsas de grife, o homem também levou um cofre com objetos de valor e cerca de 1.500 dólares. A polícia também afirma que ainda há dois suspeitos foragidos.

"Ele imaginava o que poderia ter no apartamento, mas não sabia o valor dos objetos. Ele encontrou o cofre fechado e levou o cofre. Mas aí ele se deparou com um relógio avaliado em quase 1 milhão de reais e percebeu que teria dificuldade de comercializar esse item", completa o delegado Gustavo Xavier.

O delegado relata que o suspeito confessou que, após ver a repercussão, resolveu esconder os bens furtados até a poeira baixar. Ele também não conhecia alguém que pudesse comprar um relógio de alto valor.

Confira trecho da coletiva:

A polícia descartou que qualquer pessoa do grupo de funcionários dos influenciadores tenha participado do crime. Todos eles foram demitidos alguns dias após o furto. Por meio das redes sociais, no entanto, Carlinhos Maia afirmou que a demissão dessas pessoas não estava relacionada ao furto, mas a projetos futuros.