Operação 'Luz na Infância 9' prende homem em flagrante no Tabuleiro do Martins

Durante cumprimento de mandado, polícia constatou que homem armazenava imagens com conteúdo pornográfico infantil

Um homem de 28 anos foi preso em flagrante, nesta quinta-feira (30), em Maceió, durante a Operação ‘Luz na Infância 9’, deflagrada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) em Alagoas e mais 12 estados. A prisão ocorreu no bairro do Tabuleiro do Martins.

“A ação inicial visava à busca e apreensão, mas no local já foi constatado que ele armazenava imagens com conteúdo pornográfico infantil”, frisou a delegada Teila Rocha, da Delegacia de Crimes contra Crianças e Adolescentes (DCCCA).

Em Alagoas, a Polícia Civil cumpriu mandados nos municípios de Maceió e Coruripe.

A ação faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública(MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi).

A Operação Luz na Infância 9 foi deflagrada com a participação da Polícia Civil de 13 estados (AL, BA, ES, GO, MA, MS, MT, PA, PB, PR, RN, RS e SP). O foco é identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet.

Em Alagoas, foram empregados policiais civis da Delegacia de Crimes Contra a Criança e o Adolescente (DCCCA), Operação Policial Litorânea Integrada (Oplit), Delegacia Regional de Penedo e peritos da Polícia Científica. Além do Brasil, os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em mais seis países: Argentina, Estados Unidos, Costa Rica, Paraguai, Panamá e Equador.

Houve a colaboração da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, por meio da Homeland Security Investigations (HSI).

Balanço das Operações

Em suas oito edições anteriores, realizadas entre 2017 e 2021, a ‘Luz na Infância’ já cumpriu mais de 1.600 mandados de busca e apreensão e prendeu cerca de 760 suspeitos de praticarem crimes cibernéticos de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes em todo o Brasil e nos países participantes da ação.

Com assessoria*