Delegado investiga se dosagem excessiva de remédios causou morte de idoso

Cuidadora de idoso de 94 anos, que aplicou golpe de R$ 27 mil, foi interrogada por Robervaldo Davino; vítima morreu na semana passada

O delegado Robervaldo Davino, do 6º Distrito da Capital, interrogou, na manhã desta terça-feira (27), uma jovem, de 21 anos de idade, que deu golpe de R$ 27 mil em um idoso, de 94 anos, enquanto trabalhava como cuidadora na residência dele.

A vítima, um professor aposentado, que morava em um apartamento, no bairro de Ponta Verde, segundo as investigações, era dopada com dosagens excessivas de medicamentos e acabou falecendo na semana passada.

O delegado informa que vai pedir exames detalhados sobre a causa da morte para verificar se as doses excessivas de remédios tiveram algo a ver com a morte.

As investigações indicaram que a cuidadora trabalhou na casa do idoso durante dois meses. Nesse período, utilizou o cartão de crédito dele para fazer várias compras no comércio de Maceió, dentre elas, geladeira, fogão, televisor, Iphone e tablets.

As compras foram entregues na casa de parentes dela, em São Miguel dos Campos, onde policiais civis cumpriram mandados de busca e apreensão autorizados pela Justiça.

“Quando chegamos lá, conseguimos recuperar apenas o Iphone que estava na posse do marido da jovem. Os demais objetos, ela diz que vendeu tudo”, afirma o delegado.

A cuidadora, após deixar a casa do idoso, foi trabalhar para uma idosa, também de 94 anos, no bairro do Poço, mas já foi demitida.

“Quando uma pessoa for contratar alguém como cuidadora deve ter muito cuidado; pedir referências e rastrear a vida profissional dela, como também acompanhar o trabalho”, alertou o delegado.

*Com assessoria