Caso Kleber Malaquias: após prender mais três pelo crime, PC diz ter pistas do mandante

Ex-militar que atirou em Kleber estava sentado na mesa com ele, que comemorava o aniversário

Durante coletiva nesta quinta-feira (22), a Polícia Civil deu detalhes do crime que vitimou o empresário Kleber Malaquias, na cidade de Rio Largo, no ano passado. Uma operação deflagrada ontem resultou na prisão de três suspeitos de envolvimento no crime. Uma quarta pessoa já havia sido presa anteriormente. De acordo com a PC, há pistas de quem teria sido o mandante do homicídio, mas o caso continua sendo investigado e nenhum nome será divulgado por enquanto. A suspeita, desde o início das investigações, é a de que o crime tenha motivação política.

Entre os presos pela execução do empresário, morto enquanto comemorava o próprio aniversário em um bar, estão um sargento da ativa da PM e dois policiais que já tinham sido expulsos da corporação por outros fatores. Um deles era amigos de Kleber e estava na mesa do bar com ele no dia do crime.

Nos depoimentos que foram colhidos nesta quarta-feira (22), após as prisões, a PC informou que dois dos envolvido escolheram não se manifestar e outros dois negaram todas as acusações.

O envolvimento da Polícia Federal na investigação se deu em razão do fato de o empresário ser conhecido por fazer uma série de denúncias, principalmente contra políticos, e ser, portanto, testemunha em diversas situações.

A arma apreendida durante a operação dessa quarta-feira (21) estava com um dos militares, um sargento. Trata-se de uma 9mm Glock. Já a arma utilizada no crime foi uma Pistola .40, com carga da Polícia Militar. Ela não foi encontrada pela polícia até hoje, assim como o carro utilizado para fuga dos criminosos.

Segundo a polícia, quem atirou na vítima foi um dos ex-policiais militares, que estava sentado à mesa com Kleber junto com sargento. O outro ex-militar estava dentro do carro, aguardando os comparsas.